Logotipo do Project FressaO JClicFressa é uma versão especial do programa JClic que foi desenvolvida pelo professor Jordí Lagares para acrescentar a opção de varrimento que se tinha perdido na evolução do programa Clic 3.0 para a versão Java (JClic). Em tudo o resto, funciona de forma idêntica ao programa original.

A razão principal deste artigo é responder a uma dúvida muito comum. Como sair do programa JClicFressa depois de activar a opção de varrimento? Como pode ver no final do vídeo que apresentamos e, provavelmente, já experimentou, depois de activar o varrimento o acesso ao botão de fecho da aplicação e aos menus deixa de ser possível. De facto, o varrimento no JClicFressa toma conta cursor do rato e, por isso, torna-se muito difícil clicar nos menus ou botões antes de o JClicFressa prosseguir para a peça ou célula seguinte no varrimento. Para conseguir novamente o controlo do rato, termine o varrimento premindo o botão direito do rato. Opcionalmente, pode sair da aplicação directamente com a combinação de teclas ALt+F4.

O JClicFressa, actualmente na versão 106, pode ser descarregado no site de Jordí Lagares ou directamente aqui. O ficheiro que se descarrega deve ser descomprimido para uma pasta antes de utilizar o programa. O vídeo que apresentamos mostra o arranque do programa, a caixa de diálogo com as opções de varrimento, a activação e utilização do varrimento.

Pode usar o varrimento com o botão esquerdo do rato ou usando um manípulo (switch). Neste caso, deve programar o manípulo para simular os botões do rato.
Finalmente, um comportamento do programa que confunde os utilizadores no início é, ao mudar a língua nas opções de acessibilidade (no menu de Acessibilidade), haver alterações nas opções mas não no menu. De facto, o menu só é mostrado na língua escolhida depois de reiniciar o programa.
Em breve, exploraremos as diferentes opções do menu de Acessibilidade do JClicFressa. Até lá, envie-nos as suas dúvidas, sugestões e críticas.

Este sistema escolar está-nos a matar (Michael Fielding, filósofo da educação)

Foto antiga a preto e branco de alunas numa sala de aulaO Centro de Recursos TIC para a Educação Especial (CRTIC) de Faro promove a realização da palestra Sobreviver à escola - da pedagogia à educação, pelo Professor Rui Penha, da Universidade do Algarve. A palestra realiza-se às 14:30 do dia 3 de Fevereiro, 4.ª feira, no auditório da Escola Básica Dr. José de Jesus Neves Júnior.
Este evento faz parte da iniciativa Equipa UAlg, da Universidade do Algarve, que pretende estreitar relações entre o ensino superior e os ensinos básico e secundário. Através desta iniciativa, a Equipa UAlg propõe um conjunto de palestras e outras acções, gratuitas, acessíveis e informais, realizadas por docentes da Universidade do Algarve. Saiba mais no site da Universidade do Algarve.
Para saber mais sobre a palestra Sobreviver à escola - da pedagogia à educação e para inscrições, contacte o CRTIC de Faro através do endereço de correio electrónico da equipa.

Descarregue o texto de apoio à palestra Sobreviver à Escola.

Logotipo do MOOC DCAO e-Learning Lab da Reitoria da Universidade de Lisboa promove o curso online gratuito (MOOC) Desenvolvimento de Conteúdos Acessíveis, com início no próximo dia 9 de Fevereiro. Este MOOC organiza-se em torno de dois módulos em que serão trabalhadas as funcionalidades básicas para a criação de documentos acessíveis em Microsoft Word e as funcionalidades básicas para a criação de apresentações acessíveis em Microsoft Power Point. O MOOC DCA dirige-se a todos os interessados na temática, mas particularmente a professores dos vários níveis de ensino que manifestem interesse em criar materiais educativos digitais em Word e Power Point, acessíveis a qualquer aluno, com ou sem deficiência motora ou sensorial.

O curso surge no seguimento de um trabalho desenvolvido pelo projeto de cooperação ESVI-AL que tem por objetivo contribuir para uma Educação Superior Virtual Inclusiva na América Latina.

Para inscrever-se e saber mais sobre o MOOC Desenvolvimento de Conteúdos Acessíveis, consulte a página do curso.

Revigorados pelas tradicionais doze passas carregadas de açúcar e de desejos por cumprir, o Ano Novo que começa parece-nos a altura ideal para listar resoluções e vontades que desaguarão por alturas do Natal, mais ou menos realizadas. E se gastássemos uma dúzia inteirinha de passas a desejar que se cumprisse a nossa individualidade e soubéssemos ser dádiva do que em nós é único, pleno e irrepetível?

No final do ano, o blogue das escolas de hospital lembrou-nos isso mesmo através de uma história lida e manipulada pelos alunos do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão. Aqui fica um excerto.

Fizemos de conta que a nossa casa era em Inglaterra.
O Ruben leu uma história em inglês - The Mixed-up Chameleon de Eric Carle - que nos conta a vida de um camaleão que queria ser como os outros animais, porque não gostava de si próprio. Assim, vai mudando a sua aparência física, pois os seus desejos são sempre satisfeitos. Muda tanto que deixa de ser ele, ao ponto de não conseguir alimentar-se. Perde a sua personalidade, por isso fica triste e percebe que errou. Pede então o seu último desejo: ser ele mesmo de novo. O desejo é cumprido e fica feliz.
Construímos com papel esponja um camaleão com as partes de outros animais: pernas de flamingo, cabeça de elefante, pescoço de girafa, cauda de raposa. Demos-lhe o nome de camaleão baralhado.

Ruben a ler o livro
Ruben leu o conto em inglês
Mesa com alimentos
A mesa recheada de alimentos bons
O camaleão com partes de outros animais
O camaleão com partes de outros animais
Aluno junto ao quadro a apontar para o camaleão
Cada aluno ia ao quadro colocar uma peça do camaleão
Construção do camaleão juntando partes de outros animais
A cara do elefante foi a mais divertida
Construção do camaleão juntando partes de outros animais
A colocar a cauda da raposa
Camaleão com muitas partes de animais
O camaleão mais baralhado
Camaleão com formas geométricas
Outro camaleão menos baralhado

Para ler o resto das actividades e outros artigos, visite o blogue A Escola No Hospital, actualizado semanalmente.

Existem muitas actividades baseadas no livro de Eric Carle. Procure na web ou veja um vídeo, ou aceite as sugestões de Colleen Trageser, Danielle Lott ou Brandi Cook, no Pinterest.

Bom ano!