Saltar para o conteúdo

Amêndoas quase amargas

16780328958_079be43973_oOs dias antes da Páscoa foram passados a limpar os vírus no computador de uma aluna.

Entre vírus, cavalos de Troia, malware, spyware havia muito de tudo. O Internet Explorer abria janelas sem cessar. O Google Chrome e o Mozilla Firefox foram sequestrados por software que fazia abrir mais janelas do Internet Explorer. O único navegador que abria era o Opera (por falar nisso, a carta de valores do Operamerece uma leitura - Respeito pelos utilizadores, Internet que preserve a diversidade cultural, segurança, web guiada por padrões que promovem a acessibilidade para todos, responsabilidade social), apesar de substituir todas as páginas com anúncios, um ou dois segundos depois de abertas.

Quanto mais acessível se torna a web, mais apetecível é para todos aqueles que a vêem como uma enorme oportunidade de negócio. E, por isso, muitos aproveitam todas as vulnerabilidades para passar a sua mensagem. Todo o software nocivo no computador da aluna veio camuflado à boleia de um software gratuito, de uma promessa boa demais para não acreditarmos nela ou de um botão em que clicámos por engano.

E assim, uma web que todos querem mais acessível torna-se, paradoxalmente, mais inacessível. Uma internet livre transforma-se em mais um espaço marcado pela lógica comercial. Uma plataforma de partilha de informação é esmagada pelos pregões cacofónicos de vendedores despudorados.

Pela nossa parte, continuamos a investir na acessibilidade, no software livre e na formação e cultura dos utilizadores como forma de minorar os impactos de um enorme conjunto de problemas cuja solução depende mais das pessoas do que das tecnologias.

A urgência de resolver o problema neste computador era tanta como a necessidade da aluna de tê-lo, por ser a sua única forma de trabalhar, descobrir coisas novas e conviver com os amigos. Lembra-nos a já bem conhecida curta-metragem Cordas - Maria conhece Nicolás e procura todas as formas para interagir com ele e fazê-lo participar nas brincadeiras e, para isso, do alto da sua criatividade recorre a uma tecnologia. Cordas. Há poucos dias, surgiu uma versão do vídeo Cordas com as vozes em Portugês do Brasil. Reveja-o.

Ah! Conseguimos devolver o computador mesmo a tempo de impedir que a nossa aluna tivesse uma Páscoa feita de amêndoas amargas. Ufa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *