Saltar para o conteúdo

Ainda as Jornadas de Vila Franca de Xira

Terminaram hoje as V Jornadas Pedagógicas de Vila Franca de Xira - Isto já não é o que era... Os desafios da escola no século XXI. No primeiro dia de trabalhos, na Fábrica das Palavras, a Biblioteca Municipal, tivemos oportunidade de ouvir Castro Caldas falar da necessidade de diálogo entre a neurociência e a educação, com investimento numa disciplina nova - ciência da translação, da relevância da intervenção pedagógica como peça fundamental do desenvolvimento das crianças e jovens e da repetição activa de procedimentos - entre eles a leitura - como motor para a criação de áreas específicas no cérebro que optimizem esses procedimentos. David Rodrigues aproveitou uma frase de Jorge Luís Borges - O verdadeiro labirinto é o deserto - para rever o tema das Jornadas e dizer que Isto nunca foi o que era, falar da importância das bibliotecas enquanto espaços privilegiados de criação de referências e, por isso, verdadeiros espaços anti-deserto e espaços de relação, ingrediente fundamental da aprendizagem. Fernando Franco, falou de ambientes educativos inovadores, as chamadas salas de aula do futuro, e deixou-nos um mapa do país com as escolas onde estas experiências têm espaços específicos. Carlos Pinheiro falou dos desafios e oportunidades da leitura digital e Maria José Vitorino concluiu com uma provocação sobre a importância de prevermos o futuro construindo-o com o nosso compromisso diário. A fechar a manhã, alguns alunos declamaram textos de autores portugueses, acompanhados de uma belíssima apresentação multimédia.

A tarde, no Museu do Neo-Realismo, contou com o relato das experiências de Erasmus+ de uma dezena de alunos de cursos profissionais e a apresentação do Livro Livre, um projecto de Francisco Bairrão Ruivo e Danuta Wojciechowska um projecto que desafio os leitores mais jovens a tornarem-se escritores através do relato das memórias de quem viveu o 25 de Abril. O dia terminou com novo momento cultural, depois da apresentação do projecto Mithós a Ler.

No segundo dia das Jornadas, na Escola Reinaldo dos Santos, os participantes escolheram oficinas sobre diversas temáticas. Como referimos na semana passada, a oficina de criação de livros adaptados foi dinamizada pelo CANTIC (CRTIC Amadora). Depois de uma introdução sobre as razões para adaptar livros e as adaptações mais comuns, foram mostradas vários exemplos de livros - entre os quais três extraordinários trabalhos disponíveis na Biblioteca Reinaldo dos Santos - os formandos foram desafiados a criar pequenos projectos de livros, com bases em temas diversos. Os resultados estiveram à altura da criatividade dos professores - uma história dominó, uma caixa de ovos ou um livro para aprendizagem dos números e das estações do ano, uma nau que transportava fragrâncias do Oriente e de outras paragens, um rei e uma rainha para muitas histórias futuras ou ainda uma história fria com gelados e formas geométricas e uma apresentação cheia de energia. Deixamos um curto registo fotográfico destes momentos no álbum V Jornadas Pedagógicas de Vila Franca de Xira.

Para todos os que nos honraram com a sua participação empenhada na oficina - e para todos os professores portugueses -, votos de um excelente ano lectivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *