Saltar para o conteúdo

Feliz ano novo – uma espécie de contributo

A distração é uma constante nos dias de hoje, fornecê-la é o modelo de negócio de algumas das empresas mais poderosas do mundo.

De acordo com um artigo recente da publicação inglesa The Economist, vários estudos têm apontado o papel nocivo das tecnologias de informação na produtividade laboral e no crescimento da economia.

As tecnologias de informação e comunicação são fundamentais para o trabalho de muitos trabalhadores e, como sabemos também, para a autonomia e realização pessoal de tantos outros. O artigo em questão aponta um aumento da produtividade relacionado com a utilização alargada do correio electrónico, bases de dados e web que, inicialmente, teria compensado o custo das distrações.
No entanto, trabalhar enquanto se responde a mensagens e chamadas telefónicas (e se verificam as actualizações no snapchat, whatsapp, facebook, instagram para muitas pessoas) parece ter cada vez mais impactos na capacidade de trabalho.

De qualquer modo, para além da perda de produtividade, as distrações podem também ter efeitos negativos sobre a felicidade dos distraídos, mesmo sem contar com a infelicidade e insatisfação produzidas pelo incumprimento de tarefas.

Pode ler o artigo completo (em inglês) Are digital distractions harming labour productivity? na página do The Economist.

E não se esqueça de incluir na sua lista de objectivos para 2018 mais tecnologia para a autonomia e mais autonomia relativamente à tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *