Saltar para o conteúdo

 Na semana passada trabalhámos com uma criança cuja actividade favorita é assistir a vídeos de um personagem famoso dos desenhos animados.
Como cada vídeo tem que ser lançado pelos professores identificámos, entre outras melhorias, a possibilidade de ser o aluno a iniciar a reprodução de episódios específicos.
No entanto, devido às dificuldades motoras, não pode movimentar o rato e activa o botão direito involuntariamente.
Para utilizar programas de estimulação ou de causa-efeito e algum outro software podemos muitas vezes socorrer-nos apenas do botão esquerdo do rato podendo, por isso, fixar o rato e bloquear o botão direito.
Para impedir a deslocação do rato podemos usar material antiderrapante ou, de forma mais permanente, colar fita velcro no rato e na mesa.
Para bloquear o botão direito existem várias opções. A mais imediata consiste em colocar um papel dobrado ou Bostik/Blu-Tack/Patafix por baixo do botão. Para resultados mais permanentes, pode usar-se cola quente. Uma outra solução consiste em alterar o funcionamento do rato através de software: alguns controladores de rato (veja em Painel de controlo/Alterar definições do rato) permitem bloquear os botões; também pode descarregar um programa como o Kid Key Lock, que bloqueia os botões, a roda central ou mesmo o duplo clique.
Finalmente, uma solução caseira muito interessante, proposta por Linda J. Burkhart, é a Casa do Rato.

 Hoje propomos um jogo criado em JClic que consiste em encontrar as diferenças existentes entre dois desenhos aparentemente iguais.

Este conjunto de actividades foi criado para crianças que frequentam o Jardim de Infância. As actividades estão em sequência, por anos, de acordo com o grau de dificuldade. O número de actividades e o grau de dificuldade - número de diferenças a encontrar e complexidade das imagens - para as crianças de três anos é inferior ao número de actividades e dificuldade das actividades para os cinco anos.

Além disso, de modo a tornar os exercícios ainda mais agradáveis e evitar a rotina, há quebra-cabeças intercalados, com um número diferentes de peças dependendo das idades.

Para marcar o final de cada bloco de exercícios, e antes de voltar ao menu principal de escolha do grau de dificuldade, surge uma animação.

Este tipo de exercício é mais uma possibilidade do JClic e, apesar do valor pedagógico intrínseco das actividades que aqui deixamos, esta ideia pode ser usada com imagens que contenham números, quantidades ou outros temas e matérias que queiramos explorar de forma lúdica.

Descarregue as actividades JClic Encontrar as diferenças (formato .zip) e descomprima o ficheiro encontradiferencas.zip para a pasta Encontradif. Depois, a partir do JClic, abra o ficheiro encontradif.jclic.zip nessa pasta.

Se tiver dificuldades no processo ou sugestões de melhoria, não se esqueça de nos contactar.

""Hoje é #DiaDaInternetSegura, diz-nos a Google.

Mas primeiro já o tinha dito a Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas da Direção-Geral da Educação que organizou para hoje uma sessão de videoconferência sob o tema Marca a diferença: Unidos por uma Internet melhor, de forma a comemorar o Dia da Internet mais Segura. As iniciativas que têm sido lançadas pretendem informar e proteger os utilizadores através da criação de materiais informativos e canais de apoio divulgados no site Seguranet e em eventos por todo o país.

A sessão de videoconferência Seguranet integra-se na iniciativa Líderes Digitais, que visa a promoção de comportamentos de utilização segura da internet, através da formação de jovens que possam ser mensageiros da utilização responsável das tecnologias digitais junto dos seus colegas e dos adultos da comunidade educativa.

Durante a sessão, que decorreu na EB23 José Cardoso Pires e em muitos outros pontos do país, foram partilhados materiais que podem ser usados para trabalhar temáticas como a pegada digital, o bullying, o cyberbullying, etc.

Dentre eles, o portal The Web We Want agrupa um conjunto de recursos estruturados como planos de aula, um manual para adolescentes e um manual para educadores que facilitam a tarefa de alunos e docentes no sentido de promover hábitos que ajudem à criação da internet que queremos.

Deixamos também a apresentação que serviu de base à sessão de videoconferência Seguranet (ficheiro Powerpoint, 9 MB) e que contém apontadores para muito mais recursos.

Na sua escola, que alunos utilizam o computador e a internet diariamente e são efectivamente Lideres Digitais? Desafie-os a receber formação para serem conselheiros Seguranet!

Tapete de mesa com símbolos pictográficosAgora já pode utilizar o Picto.Cloud em português. No final do ano, traduzimos o Picto.Cloud, uma ferramenta que, como dissemos anteriormente, complementa as vastas possibilidades do programa Picto-Selector, adicionando a funcionalidade de acesso a tabelas de comunicação e a partilha com outros utilizadores através de um espaço online.

Para usar o site, precisa primeiro de criar uma conta na área de registo do Picto.Cloud. Em seguida, tem que responder à mensagem enviada para o seu endereço de correio electrónico após o registo. Depois, aceda à sua conta no Picto.Cloud e seleccione a chave privada (Private key). Finalmente, no Picto-Selector, vá às Configurações do utilizador e abra o separador do Picto.Cloud. Copie para aqui a sua chave privada. Depois de colocar a chave privada verá o estado das suas folhas e páginas no painel esquerdo do Picto-Selector.

No site do Picto.Cloud pode ainda ver como partilhar as suas tabelas com outros utilizadores, como actualizar as tabelas com as alterações realizadas, como carregar e descarregar tabelas, etc.

Para conhecer melhor algumas das características do Picto-Selector e inspirar-se com alguns exemplos de utilização, visite o espaço de exemplos do Picto-Selector. e inspirar-se com alguns exemplos de utilização, visite o espaço de exemplos do Picto-Selector.

 

Encontro Nacional Todos Juntos Podemos LerVai realizar-se no próximo dia 27 de janeiro, entre as 9h30 e as 18 horas, no Fórum Picoas, em Lisboa, o Encontro nacional Todos Juntos Podemos Ler. Este Encontro quer ser um momento de reflexão e partilha do trabalho realizado no âmbito do Projeto Todos Juntos Podemos Ler e, ao mesmo tempo, um desafio para pensar ações futuras com vista à criação de uma efetiva cultura inclusiva, na escola pública atual.

O projeto Todos Juntos Podemos Ler, iniciado em 2011, integra atualmente 72 Agrupamentos de Escolas. Resulta de uma parceria entre a Rede de Bibliotecas Escolares, o Plano Nacional de Leitura e a Direção de Serviços de Educação Especial e Apoio Socioeducativo da Direção Geral da Educação. Para além da promoção da leitura junto dos alunos com Necessidades Educativas Especiais, o projeto assume-se como um espaço de partilha de saberes, de experiências e de materiais pedagógicos.

Os destinatários preferenciais do Encontro Todos Juntos Podemos Ler são os Diretores, Professores Bibliotecários e docentes de Educação Especial dos agrupamentos que integram o projeto, mas todos os interessados poderão inscrever-se, ficando a sua participação apenas sujeita à lotação do espaço.

Este encontro está reconhecido pela Direção-Geral da Educação como ação de curta duração.

O CANTIC, que esteve ligado ao projeto Todos Juntos Podemos Ler desde o seu início, participa no Encontro com a dinamização de uma oficina de criação de Livros ilustrados com o Tar Heel Reader.

Pode descarregar o programa do Encontro Todos Juntos Podemos Ler (em formato PDF) e saber mais sobre este evento e inscrever-se na página do Encontro Todos Juntos Podemos Ler.

Boneco branco com chave douradaTal como a acessibilidade física tem repercussões que vão além do benefício estrito para as pesssoas com deficiência, criar um sítio web acessível tem virtudes e vantagens para um público vasto e para os próprios criadores.

O autor de um artigo recente no espaço Opensource.com lista quatro razões para investir na acessibilidade:

  1. SEO (Search Engine Optimization ou Optimização para Ferramentas de Busca) melhorada [a necessidade de proporcionar instruções claras aos utilizadores provoca maior clareza para os motores de busca]10
  2. Melhor experiência de utilizador para todos os visitantes e dispositivos [as páginas acessíveis permitem diferentes tipos de interacção com o conteúdo e são, normalmente, responsivas (responsive) ou seja, adaptam-se aos dispositivos em que são consultadas]
  3. Evitar processos judiciais caros e embaraçosos [o autor refere os processos movidos há dois anos a Harvard e ao MIT pela associação americana de surdos - a que mais tarde se juntou o Departamento de Justiça - devido à falta de legendagem dos cursos online]
  4. Aumentar o público do seu sítio tornando-o mais inclusivo [a usabilidade da internet é tanto mais fundamental quanto mais os utilizadores procuram funcionalidade, têm cada vez mais escolhas disponíveis e são cada vez mais um público diverso e com diferentes tipos de necessidades, recursos e competências].

Ou seja, fazer bem parece fazer muito bem.

Os comentários são nossos. O artigo completo 4 reasons why an accessible website is a win-win (em inglês) está disponível no portal Opensource.com.

 

Navegar na web é para todosAproveitando a energia acumulada dos pinhões, das passas e das vontades cheias para este ano, começamos 2017 com uma proposta de formação em acessibilidade web disponível para professores de todos os grupos disciplinares que confere um crédito aos participantes que a concluam com sucesso.
A ação de formação Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva é oferecida em regime de blended learning e tem uma duração de 25 horas. Começa já na 6ª feira, dia 13 de janeiro, com uma sessão presencial das 14h30 às 18h30. As seis sessões seguintes, ao ritmo de uma sessão por semana, decorrem em regime de e-learning. A última sessão, também presencial, deverá realizar-se no dia 10 de março de 2017.
As sessões presenciais decorrem na Escola Secundária de Sacavém, sede do Agrupamento de Escolas Eduardo Gageiro.
Esta formação foi criada com o principal objectivo de promover a acessibilidade das páginas das escolas, de modo a cumprirem padrões de acessibilidade consentâneos com as directrizes do World Wide Web Consortium para que possam ser compreendidas e pesquisáveis por todos os utilizadores, incluindo pessoas com cegueira, baixa visão, surdez, limitações de movimento ou limitações cognitivas.
Para mais informações, consulte o cartaz de divulgação da acção Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva ou o Centro de Formação de Loures Oriental.
Para inscrever-se, preencha e envie o impresso de inscrição na ação Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva para o email do Centro de Formação de Loures Oriental até ao dia 9 de janeiro de 2017.

" "Há poucos dias, recebemos a visita de um professor brasileiro que procurava documentar-se sobre a resposta das escolas portuguesas aos desafios da diversidade. Por isso, visitámos uma Unidade de Apoio à Inclusão de Alunos com Multideficiência e uma sala Snoezelen que existe no Agrupamento e que está aberta às estruturas da Comunidade que dela necessitam.

O resto do tempo disponível foi gasto num diálogo profícuo em que mostrámos o funcionamento dos Centros de Recursos TIC e o seu papel na avaliação e apoio aos alunos que precisam de tecnologias de apoio e na formação de docentes. Ao mesmo tempo, percebemos melhor a realidade das escolas do Brasil, os ganhos da escola inclusiva e os caminhos novos que vão trilhando e que se cruzam em múltiplos aspectos com o percurso de Portugal.

Entre os materiais partilhados no nosso encontro, a brochura Tecnologia Assistiva nas Escolas: Recursos Básicos de Acessibilidade Sociodigital para Pessoas Com Deficiência (2ª edição) apresenta um capítulo sobre acessibilidade, outro sobre o computador enquanto tecnologia de apoio na educação e um terceiro capítulo sobre materiais que podem ser construídos ou adpatados pelas escolas.

Por muito tempo, predominou a visão da deficiência como um problema individual, transferindo à pessoa a responsabilidade de “mudar” ou “adaptar-se” para viver em sociedade. A partir da década de 1960, essa visão começou a ser questionada e, pouco a pouco, a deficiência passou a ser entendida a partir da interação das pessoas com o contexto em que vivem. No modelo inclusivo, fundamentado nessa visão, cabe à sociedade adaptar-se para acolher as diferenças e promover condições de acesso – para todos os cidadãos, com ou sem deficiência – aos serviços coletivos de saúde, educação, trabalho, locomoção, segurança etc. (In Tecnologia Assistiva nas Escolas)

A brochura Tecnologia Assistiva (Ta): Experiências Inovadoras - Soluções de Acessibilidade apresenta alguns projectos concluídos, outros à procura de condições para avançar e ainda ferramentas gratuitas.

O livro As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas reúne contribuições de muitos autores e debruça-se sobre as tecnologias de informação e comunicação, as tecnologias de apoio e a formação de professores.

Veja algumas fotos do encontro no álbum Visita do Brasil.

Guia de Recursos para a Área da Deficiência3 de Dezembro

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência trouxe, mais uma vez, consigo inúmeras celebrações com as quais todos temos que congratular-nos. É, no entanto, fundamental assegurar que este dia não se encerre em si próprio, tenha repercusssões e que os motivos da celebração não se esgotem numa semana. No lançamento de um guia que congrega os recursos disponíveis na Amadora, a Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência falou da necessidade de criar condições para um trabalho efectivo que tenha em conta as pessoas, nomeadamente as que têm deficiência, também no resto do ano. Ana Sofia Antunes sublinhou a importância do Guia de Recursos para a Área da Deficiência para esse objectivo e comunicou ainda o próximo alargamento do número de balcões da inclusão a todas as sedes de distrito do país. Veja a vídeo-reportagem Autarquia Lança Guia de Recursos para a área da Deficiência ou as fotos do acontecimento no álbum do Lançamento do Guia de Recursos para a Deficiência.

3/2008

O nosso título desajeitado remete também para a proximidade das alterações ao Decreto-Lei sobre Educação Especial. No dia 3 de Dezembro, no Congresso Internacional sobre Escola Inclusiva, a Dra. Luísa Ucha, do Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento da Escola Inclusiva (criado pelo Despacho n.º 7617/2016 de 8 de Junho), apresentou um conjunto de ideias fundamentais a partir das quais será elaborada nova legislação neste âmbito. Apesar de terem sido referidas mudanças concretas como a eliminação da medida Currículos Específicos Individuais ou a criação dos Centros de Apoio à Aprendizagem, o conjunto de novidades deixa antever as enormes mudanças que se avizinham e obriga à leitura atenta do Relatório de Progresso do Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento da Escola Inclusiva.

Nova página do CANTIC

Aproveitando o dia 3 de Dezembro, lançámos uma nova página do CANTIC. Apesar desta alteração corresponder a mudanças internas significativas, externamente pretendemos apenas simplificar a disponibilização da informação, tornar a página ainda mais acessível e juntar no mesmo endereço os conteúdos estáticos e o blogue. Para já, pode aceder à nova página em http://cantic.org.pt/wp.  Agora já pode aceder à página do CANTIC no endereço principal. Os conteúdos do blogue serão temporariamente duplicados também no endereço http://cantic.org.pt/blog. Esperamos assim contribuir para uma melhoria da experiência de navegação no sítio do CANTIC e, sobretudo nesta fase inicial, agradecemos o seu feedback e sugestões.

17 objectivos de desenvolvimento sustentávelA Câmara Municipal da Amadora apresenta o Guia de Recursos para a Área da Deficiência, que reúne os serviços e os equipamentos disponíveis no concelho, para apoiar pessoas com necessidades especiais e respectivas famílias. A apresentação decorre no próximo dia 2 de Dezembro, na Escola 2/3 José Cardoso Pires, pelas 15h00, e conta com a presença e intervenção da Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, e da Presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares.

O lançamento do Guia de Recursos para a área da Deficiência pretende associar-se às comemorações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Cada ano, a ONU propõe um tema para as comemorações que ocorrem no dia 3 de Dezembro e, este ano, o mote é Alcançar 17 objectivos para o futuro que queremos, numa referência explícita aos 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. O desafio é reflectir sobre a forma como estes objectivos podem ajudar a criar um mundo mais equitativo que inclua as pessoas com deficiência.

Para saber mais sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, consulte o sítio do International Day of People with Disability da Austrália (em inglês).

Sobre os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030, consulte o sítio da ONU ou descarregue o Guia sobre Desenvolvimento Sustentável.

Teclado de comunicação PlaphoonsRecentemente, o autor do blogue Projecte Fressa, Jordí Lagares, criou dois novos repositórios com o intuito de agregar recursos relacionados com o software que desenvolve.

O primeiro repositório chama-se Plaphoteca e reúne teclados de comunicação e actividades pedagógicas criados no programa Plaphoons. Nesta fase inicial, estão já disponíveis teclados de comunicação para diferentes utilizadores, vários teclados de escrita, teclados para interacção com jogos e teclados com outras actividades pedagógicas como o conjunto Chispas de Luz que apresentámos num artigo anterior.

O repositório Haciendo "ruido" por el mundo con el Projecte Fressa, por outro lado, pretende agrupar vídeos e páginas web em que se mostre a utilização das ferramentas criadas por Lagares e reunidas na página do Projecte Fressa.

Se criou teclados para o Plaphoons, pode disponibilizá-los no Plaphoteca. Se usa esse ou outros programas do Projecte Fressa com os seus alunos e tem vídeos documentando a sua utilização, também pode contribuir para a já enorme lista de vídeos do Haciendo ruído.

Rede de Necessidades Educativas Especiais da Universidade de LisboaA Rede de Estudantes com Necessidades Educativas Especiais (Rede NEE-ULisboa) convida toda a comunidade académica da ULisboa a estar presente no II Seminário Estudantes com Necessidades Educativas Especiais da ULisboa – Políticas, Práticas e Culturas, que irá decorrer no dia 17 de novembro, no Salão Nobre da Reitoria da ULisboa.

Este Seminário pretende divulgar as atividades desenvolvidas no último ano pela Rede NEE-ULisboa com vista à plena inclusão dos seus estudantes com Necessidades Educativas Especiais, apresentar o novo site da Rede NEE- ULisboa, divulgar recursos e informações úteis, e promover uma reflexão sobre as práticas de inclusão no ensino superior.

Para mais informações, consulte e descarregue o programa do II Seminário Estudantes com NEE da ULisboa

Para participar, preencha o formulário de inscrição do do II Seminário Estudantes com NEE da ULisboa.

Recentemente, tivemos oportunidade de testar o novo software Barrido, um programa criado pelo Eng.º Antonio Sacco a partir dos programas Kanghooru e JavaKanghooru (pode encontrar o Kanghooru e JavaKanghooru no site de Jordi Lagares Roset).

Tanto o Kanghooru como o Barrido são emuladores de varrimento. O modo de funcionamento consiste em marcar pontos no ecrã que depois são percorridos automaticamente pelo cursor do rato. Desta forma, um utilizador de um manípulo (switch) ou de um rato adaptado pode seleccionar as diferentes opções que foram previamente marcadas no ecrã permitindo-lhe interagir com programas que não têm a possibilidade de varrimento incorporada.

O programa Barrido foi criado de modo a resolver alguns problemas encontrados com o software de Lagares em versões recentes do Microsoft Powerpoint. Entretanto, ao reescrever o programa foram acrescentadas funcionalidades que o Kanghooru não possuía originalmente.

Para saber mais sobre o funcionamento do programa de Antonio Sacco, consulte a página do programa Barrido (em espanhol) ou veja o vídeo de demonstração do Barrido no final deste artigo (legendas em português).

Destacar o cursor do rato

Um recurso referido por Antonio Sacco para facilitar a utilização do Barrido é o pequeno programa Cursor Attention, de Kenrick Mock, que permite agregar um círculo, um quadrado, um lápis, etc. ao cursor do rato, com várias opções de cores e tamanhos, para melhorar a visibilidade do cursor.

Pode descarregar este programa a partir do site de Antonio Sacco na página do Cursor Attention.

Uma escola, uma iniciativa de e-learningO e-Learning Lab da ULisboa promove, no dia 9 de Novembro de 2016, na Reitoria da Universidade de Lisboa, o Seminário - Uma Escola Uma Iniciativa de e-Learning.

No seminário serão apresentados casos de boas práticas de integração das tecnologias digitais no ensino, identificados na ULisboa e serão disponibilizados workshops de produção de conteúdos, gravação de vídeo e utilização de videoconferência com recurso a sistemas disponibilizados pela Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN).

As sessões plenárias decorrem no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa e workshops são divididos entre a Sala de Conferências da Reitoria da Universidade de Lisboa e os estúdios da FCCN - FCT.

Para saber mais, descarregue o Programa do Seminário Uma Escola Uma Iniciativa de e-Learning.

O Seminário é gratuito mas é necessária inscrição prévia.

Demonstração do MYM Eu ConsigoOs professores dos Centros de Recursos TIC (CRTIC) reuniram-se hoje na Direcção Geral de Educação (DGE) para uma jornada em que foram apresentados os resultados do ano lectivo 2015-16 e as ideias de funcionamento para este ano.

A abertura do Encontro esteve a cargo do subdirector geral da DGE, Dr. Pedro Cunha, que falou da importância de retormarmos a radicalidade da ideia da inclusão enquanto gestão de todos os alunos que estão na escola.

A Dra. Ida Brandão apresentou os dados globais do ano lectivo anterior e os sistemas de videoconferência instalados e fez um balanço do curso online e-acessibilidade. Em breve será lançado o Curso online Faça Você mesmo, que incidirá sobre técnicas de construção de materiais e tecnologias de apoio de baixo custo.

A Dra. Alexandra Crespo falou da atribuição de produtos de apoio com recomendações para este ano e, logo a seguir, os CRTIC apresentaram as suas perspectivas de trabalho e formas de funcionamento.

A parte da tarde estava reservada para a mostra e exploração de software e materiais de baixo custo construídos pelos CRTIC. Quando estiverem disponíveis publicamente, daremos conta das soluções mostradas. Em destaque, o MYM - Eu consigo, que ganhou recentemente o prémio Ilídio Pinho e as mil criações da Dra. Ida Brandão com matérias-primas de fácil acesso e preço muito reduzido.

Por falta de tempo, não apresentámos algumas das baixas tecnologias que desenhámos e produzimos em diferentes contextos e para diferentes alunos. Fa-lo-emos em breve aqui.

Para já, deixamos as fotos do dia no álbum Jornada CRTIC 2016-17 e uma ficha de construção e um vídeo (em inglês) de um suporte para tablet semelhante a uma das propostas que levámos.

Foto de alunos com actor Alexandre SilvaO Centro Internet Segura (CIS.pt) realizou hoje o evento Marca a Diferença por uma Internet Melhor!, na Fundação Portuguesa das Comunicações, com o objetivo de lançar as versões acessíveis da websérie Net com Consciência e publicitar a nova identidade da linha de esclarecimento e apoio Linha Internet Segura.

Durante o Verão de 2016, o CIS.pt lançou um conjunto de 10 vídeos dirigidos aos jovens que, num registo humorístico, abordam problemáticas associadas à utilização da Internet, nomeadamente dependência online, cyberbullying, sexting, gaming, cuidados com reputação online, roubo de identidade ou discurso de ódio.

Atento às questões de Inclusão, Literacia e Acessibilidade Digitais, o CIS.pt, com a colaboração da Unidade Acesso da Fundação para a Ciência e Tecnologia, lançou hoje os vídeos desta websérie com Audiodescrição, Língua Gestual Portuguesa e Legendagem em Português e Inglês.

A manhã foi divertida e cheia de informação relevante, com o auditório da Casa do Futuro cheio maioritariamente com alunos dos 12 aos 18 anos - alguns alunos acompanhados pelo CANTIC e pela professora Lúcia Neves estiveram também presentes no evento. Foi apresentado o CIS.pt, alguns vídeos da websérie e a Linha Internet Segura, para apoio e aconselhamento sobre questões relacionadas com o uso da Internet, e a Linha Alerta, para denúncia de conteúdos ilegais.

As grandes estrelas da sessão foram os actores Alexandre Silva, Pedro Górgia e Tiago Aldeia, que deram vida a uma personagem recorrente nos vídeos.

Os vídeos originais podem ser vistos no Canal Youtube da Internet Segura ou a partir da página da Internet Segura.

Abaixo, deixamos a listagem dos vídeos com áudiodescrição e com Língua Gestual Portuguesa.

Vídeos com Áudiodescrição

Ep 01 Dependência Online

Ep 02 Cyberbullying

Ep 03 Reputação Online

Ep 04 Sexting

Ep 05 Discurso de ódio

Ep 06 Roubo de Identidade

Ep 07 Dating

Ep 08 Pegada Digital

Ep 09 Papel dos pais

Ep 10 Dependência do Jogo

Vídeos com LGP

Ep 01 Dependência Online

Ep 02 Cyberbullying

Ep 03 Reputação Online

Ep 04 Sexting

Ep 05 Discurso de ódio

Ep 06 Roubo de Identidade

Ep 07 Dating

Ep 08 Pegada Digital

Ep 09 Papel dos pais

Ep 10 Dependência do Jogo

Mais fotos no Álbum Marca a Diferença por uma Internet Melhor.

""Foi recentemente publicada em Diário da República a Portaria n.o 254/2016, de 26 de setembro, que cria uma experiência-piloto de ensino a distância, no âmbito da oferta formativa do ensino secundário na modalidade de ensino recorrente. Esta experiência foi chamada Ensino Secundário Recorrente a Distância (ES-RaD).

O ES-RaD é oferecido na modalidade de b-learning e tem como destinatários alunos com mais de 18 anos que não completaram o ensino secundário. Existe também a possibilidade de frequência para alunos que, aos 16 anos, pretendam frequentar um sistema modular de formação devido a incompatibilidade com uma actividade laboral ou que estejam em risco de abandono escolar.

Pode ler a Portaria n.o 254/2016 na íntegra na página do Diário da República.

 A Direção-Geral da Educação, a Câmara Municipal de Cascais, o Agrupamento de Escolas da Alapraia e a CERCICA convidam para a apresentação do livro Como os Pássaros.

A sessão de lançamento terá lugar no próximo dia 26 de setembro, pelas 15.00h, no Agrupamento de Escolas da Alapraia.

O livro foi escrito por Maria Teresa Gonzalez e ilustrado por Raquel Pinheiro. Vai ser apresentado pela escritora Isabel Alçada.

Como os Pássaros é o terceiro livro da Coleção Todos a Ler, através da qual se disponibilizam obras em formatos que respondem às necessidades específicas de acesso à leitura de todas as crianças. O CANTIC foi responsável pela adaptação em SPC (Símbolos Pictográficos para a Comunicação) para crianças com dificuldades de comunicação e outras.

A sessão será presidida pelo Secretário de Estado da Educação, João Costa, e conta ainda com a presença da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, e do Presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras.

Trabalho com bonecos da Playmobil por ocasião dos Jogos ParalímpicosO Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual Paulista vai realizar um curso de audiodescrição, destinado a profissionais, nomeadamente jornalistas, tradutores, linguistas e professores,  que pretendam saber mais sobre a tradução de imagens dinâmicas e estáticas para pessoas com deficiência visual.

A audiodescrição é uma técnica de acessibilidade que consiste na tradução de conteúdos visuais em informação sonora de modo aqueles conteúdos acessíveis a pessoas cegas ou com baixa visão.

Apesar das primeiras tentativas formais de audiodescrição terem mais de três décadas - pode ler uma pequena história da audiodescrição no sítio da Unidade Acesso - não é comum encontrar informação detalhada sobre esta técnica.

O curso está mesmo a começar. Para saber mais pormenores sobre os custos, programa ou objectivos, veja a página Princípios e Técnicas da Audiodescrição: Aplicabilidade em Contextos Culturais Educacionais.

O Curso começa no dia em que começam os Jogos Paralímpicos e, por isso, escolhemos uma imagem com bonecos da Playmobil fotografados para representar as modalidades paralímpicas - pode ver mais na página de Facebook de Heberth Sobral.

Votos de um bom ano lectivo 2016-2017.

 Recentemente encontrámos três artigos que gostaríamos de partilhar. Contam a história de três pessoas ímpares para quem as tecnologias são fundamentais (apesar de as tecnologias não serem o foco dos artigos). São histórias de superação que inspiram e mostram três pessoas dispostas, cada uma de sua forma, a mudar o mundo e como estão a consegui-lo.

Kyle Schwaneke é um programador com autismo, recentemente contratado para o desenvolvimento de software para a consola Xbox da Microsoft. Este engenheiro e a sua visão do mundo estão a ajudar a construir melhores produtos.

Leia o artigo sobre Kyle Schwaneke.

Jenny Lay-Flurrie é surda. A empresa em que trabalhava promoveu-a e Jenny pensava não conseguir dar conta das novas responsabilidades que o cargo lhe traria. Pelo contrário, a empresa apoiou-a totalmente. Hoje é directora de acessibilidade na Microsoft.

Jenny Lay-Flurrie diz que sempre foi inspirada pelo mantra dos pais “A única coisa que te impede de avançar és tu” mas confessa:

Levei muito tempo a perceber que a minha deficiência é uma força. Nós nascemos a resolver problemas, somos leais e motivados. Não mudaria o meu percurso por nada deste mundo.

Leia o artigo sobre Jenny Lay-Flurrie.

Steve Gleason foi jogador da Liga de Futebol Americana (NFL). Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica, Gleason “decidiu que o diagnóstico era mais uma razão para se preparar para viver.”
Steve criou a Fundação Team Gleason e organiza o festival Spokane’s Gleason Fest. Nas fotos do artigo pode ver-se como a tecnologia é uma extensão de si próprio.

Leia o artigo sobre Steve Gleason.

Os artigos estão em inglês mas valem o esforço de uma visita ao Google Translate.