Saltar para o conteúdo

 Qual a razão para incluir calão e palavras de temáticas inapropriadas nas bibliotecas de símbolos?

Nestes ou noutros termos, esta é uma questão recorrente de quem inicia o trabalho de comunicação aumentativa com recurso a pictogramas. A pergunta é tanto mais pertinente quanto, num contexto educativo, há vocabulário raramente ou mesmo nunca utilizado.

No entanto, ao disponibilizar um conjunto alargado de símbolos, garantimos a resposta às necessidades de comunicação dos utilizadores numa grande variedade de contextos, idades e temáticas. A lógica dos criadores dos símbolos é de que é mais fácil evitar a utilização de pictogramas específicos em situações em que eles não são apropriados do que criar novos pictogramas sempre que sejam necessários – para além das dificuldades inerentes à procura e desenho do equivalente visual de uma palavra, a criação ou recriação sistemática de símbolos para um aluno pode dificultar o trabalho junto de um aluno, particularizando excessivamente a intervenção.

Mesmo assim, e dando resposta a algumas solicitações, uma das últimas versões do PictoSelector permite logo na instalação esconder as categorias de pictogramas Sexualidade e drogas.

Janela Pictos inapropriados para crianças na instalação do Picto-SelectorDesta forma, o professor, terapeuta ou cuidador não incorrem na possibilidade de inadvertidamente colocar símbolos indesejados numa tabela. Da mesma forma, há professores que nos casos em que as crianças utilizam o programa, a pesquisa ignora os símbolos nestas categorias.

Depois da instalação, esta caixa de diálogo deixa de estar disponível. Para ocultar categorias específicas, é necessário aceder às Configurações de Administrador no menu Configurações.

Janela de Configurações do Administrador

Nova biblioteca de símbolos

Na versão 1.8.5, de 15 de Novembro, foi adicionada a Biblioteca #Soyvisual, com 1094 imagens e a possibilidade de introduzir anotações nos pictogramas - esta nova característica pode ser usada para notar os plurais, futuro, passado, etc.

O CANTIC - CRTIC Amadora traduziu a Biblioteca #Soyvisual integralmente para português. Se tiver alguma sugestão ou melhoria, não hesite em contactar-nos ou contactar o autor do programa.

Para conhecer as características adicionadas ao programa nas diferentes versões, consulte a página Versões do Picto-Selector.

Todos os dias são bons para experimentar o prazer de ler mas o Verão dá-nos as sombras quentes e o tempo de lazer que nos fazem querer ainda mais folhear um livro ou uma revista ou um jornal e comungar das histórias - inventadas ou reais - que percorrem os nossos mundos - reais ou imaginados.

A história que propomos hoje não pode ser folheada mas tem outras virtudes. É uma história de Verão pensada para alunos numa fase inicial de leitura e adaptada ao programa Plaphoons.

Pode descarregar a história Um dia na praia para o Plaphoons.

Juntamos também um vídeo explicativo. Para além de poder ouvir a história, se não costuma usar o Plaphoons, no vídeo encontra também a forma de funcionamento do programa.

 Já está disponível uma nova versão do Picto-Selector. Este programa torna mais fácil a criação, impressão e gestão de tabelas de comunicação. Para além de muitas outras características distintivas, o Picto-Selector reúne milhares de símbolos pictográficos de várias bibliotecas de imagens.

A versão mais recente, integralmente traduzida em português, pode imprimir várias tabelas numa única página, tem novos modelos de páginas e exporta tabelas para ficheiros RTF.

Os ficheiros RTF podem ser abertos e manipulados em programas de processamento de texto. Esta opção é interessante para a realização de testes, fichas de trabalho e outros materiais com recurso às ferramentas próprias de programas como o Open Office Writer ou o Word.

Quanto aos modelos de páginas, para além de podermos criar tabelas para diferentes digitalizadores existentes no mercado, agora estão também disponíveis cartões de Bingo e cubos. Uns e outros podem ser usados para criar jogos com finalidades diversas ou como ferramentas específicas para a aprendizagem e treino da comunicação aumentativa.

Encontre todas as novidades da última versão no pequeno vídeo a seguir.

Que novas ideias de utilização educativa lhe sugerem estas novidades?

Tapete de mesa com símbolos pictográficosAgora já pode utilizar o Picto.Cloud em português. No final do ano, traduzimos o Picto.Cloud, uma ferramenta que, como dissemos anteriormente, complementa as vastas possibilidades do programa Picto-Selector, adicionando a funcionalidade de acesso a tabelas de comunicação e a partilha com outros utilizadores através de um espaço online.

Para usar o site, precisa primeiro de criar uma conta na área de registo do Picto.Cloud. Em seguida, tem que responder à mensagem enviada para o seu endereço de correio electrónico após o registo. Depois, aceda à sua conta no Picto.Cloud e seleccione a chave privada (Private key). Finalmente, no Picto-Selector, vá às Configurações do utilizador e abra o separador do Picto.Cloud. Copie para aqui a sua chave privada. Depois de colocar a chave privada verá o estado das suas folhas e páginas no painel esquerdo do Picto-Selector.

No site do Picto.Cloud pode ainda ver como partilhar as suas tabelas com outros utilizadores, como actualizar as tabelas com as alterações realizadas, como carregar e descarregar tabelas, etc.

Para conhecer melhor algumas das características do Picto-Selector e inspirar-se com alguns exemplos de utilização, visite o espaço de exemplos do Picto-Selector. e inspirar-se com alguns exemplos de utilização, visite o espaço de exemplos do Picto-Selector.

 

" "O programa para comunicação aumentativa Picto-Selector foi melhorado com o novo Picto.Cloud, uma ferramenta que facilita o acesso a tabelas e símbolos e a partilha com outros utilizadores.

Ainda em versão beta, o Picto.Cloud é um espaço online em que os utilizadores registados podem carregar as tabelas que criaram e, a partir daí, usá-las em qualquer local com acesso à internet ou, através do fornecimento de uma chave, permitir a utilização por outras pessoas.

O Picto-Selector (de que aqui falámos anteriormente, quando traduzimos a página de apoio à utilização do Picto-Selector) é um programa gratuito de criação de tabelas para comunicação aumentativa com características impressionantes. Dentre as muitas razões que justificam a sua descarga, destacamos um extensíssimo conjunto de imagens - mais de 28000 símbolos -, graças à utilização de bibliotecas de símbolos traduzidas em várias línguas, a facilidade de criação de tabelas e símbolos específicos para trabalhar a noção de tempo - tão apropriados para esta altura do ano!

Para já, o Picto.Cloud está disponível em inglês e holandês e, sendo uma versão beta, está sujeito a alterações significativas. Se o utilizar, pode contribuir com sugestões de melhoria contactando o autor através do sítio web do Picto-Selector.

" "Há poucos dias, recebemos a visita de um professor brasileiro que procurava documentar-se sobre a resposta das escolas portuguesas aos desafios da diversidade. Por isso, visitámos uma Unidade de Apoio à Inclusão de Alunos com Multideficiência e uma sala Snoezelen que existe no Agrupamento e que está aberta às estruturas da Comunidade que dela necessitam.

O resto do tempo disponível foi gasto num diálogo profícuo em que mostrámos o funcionamento dos Centros de Recursos TIC e o seu papel na avaliação e apoio aos alunos que precisam de tecnologias de apoio e na formação de docentes. Ao mesmo tempo, percebemos melhor a realidade das escolas do Brasil, os ganhos da escola inclusiva e os caminhos novos que vão trilhando e que se cruzam em múltiplos aspectos com o percurso de Portugal.

Entre os materiais partilhados no nosso encontro, a brochura Tecnologia Assistiva nas Escolas: Recursos Básicos de Acessibilidade Sociodigital para Pessoas Com Deficiência (2ª edição) apresenta um capítulo sobre acessibilidade, outro sobre o computador enquanto tecnologia de apoio na educação e um terceiro capítulo sobre materiais que podem ser construídos ou adpatados pelas escolas.

Por muito tempo, predominou a visão da deficiência como um problema individual, transferindo à pessoa a responsabilidade de “mudar” ou “adaptar-se” para viver em sociedade. A partir da década de 1960, essa visão começou a ser questionada e, pouco a pouco, a deficiência passou a ser entendida a partir da interação das pessoas com o contexto em que vivem. No modelo inclusivo, fundamentado nessa visão, cabe à sociedade adaptar-se para acolher as diferenças e promover condições de acesso – para todos os cidadãos, com ou sem deficiência – aos serviços coletivos de saúde, educação, trabalho, locomoção, segurança etc. (In Tecnologia Assistiva nas Escolas)

A brochura Tecnologia Assistiva (Ta): Experiências Inovadoras - Soluções de Acessibilidade apresenta alguns projectos concluídos, outros à procura de condições para avançar e ainda ferramentas gratuitas.

O livro As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas reúne contribuições de muitos autores e debruça-se sobre as tecnologias de informação e comunicação, as tecnologias de apoio e a formação de professores.

Veja algumas fotos do encontro no álbum Visita do Brasil.

Teclado de comunicação PlaphoonsRecentemente, o autor do blogue Projecte Fressa, Jordí Lagares, criou dois novos repositórios com o intuito de agregar recursos relacionados com o software que desenvolve.

O primeiro repositório chama-se Plaphoteca e reúne teclados de comunicação e actividades pedagógicas criados no programa Plaphoons. Nesta fase inicial, estão já disponíveis teclados de comunicação para diferentes utilizadores, vários teclados de escrita, teclados para interacção com jogos e teclados com outras actividades pedagógicas como o conjunto Chispas de Luz que apresentámos num artigo anterior.

O repositório Haciendo "ruido" por el mundo con el Projecte Fressa, por outro lado, pretende agrupar vídeos e páginas web em que se mostre a utilização das ferramentas criadas por Lagares e reunidas na página do Projecte Fressa.

Se criou teclados para o Plaphoons, pode disponibilizá-los no Plaphoteca. Se usa esse ou outros programas do Projecte Fressa com os seus alunos e tem vídeos documentando a sua utilização, também pode contribuir para a já enorme lista de vídeos do Haciendo ruído.

 Recentemente encontrámos três artigos que gostaríamos de partilhar. Contam a história de três pessoas ímpares para quem as tecnologias são fundamentais (apesar de as tecnologias não serem o foco dos artigos). São histórias de superação que inspiram e mostram três pessoas dispostas, cada uma de sua forma, a mudar o mundo e como estão a consegui-lo.

Kyle Schwaneke é um programador com autismo, recentemente contratado para o desenvolvimento de software para a consola Xbox da Microsoft. Este engenheiro e a sua visão do mundo estão a ajudar a construir melhores produtos.

Leia o artigo sobre Kyle Schwaneke.

Jenny Lay-Flurrie é surda. A empresa em que trabalhava promoveu-a e Jenny pensava não conseguir dar conta das novas responsabilidades que o cargo lhe traria. Pelo contrário, a empresa apoiou-a totalmente. Hoje é directora de acessibilidade na Microsoft.

Jenny Lay-Flurrie diz que sempre foi inspirada pelo mantra dos pais “A única coisa que te impede de avançar és tu” mas confessa:

Levei muito tempo a perceber que a minha deficiência é uma força. Nós nascemos a resolver problemas, somos leais e motivados. Não mudaria o meu percurso por nada deste mundo.

Leia o artigo sobre Jenny Lay-Flurrie.

Steve Gleason foi jogador da Liga de Futebol Americana (NFL). Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica, Gleason “decidiu que o diagnóstico era mais uma razão para se preparar para viver.”
Steve criou a Fundação Team Gleason e organiza o festival Spokane’s Gleason Fest. Nas fotos do artigo pode ver-se como a tecnologia é uma extensão de si próprio.

Leia o artigo sobre Steve Gleason.

Os artigos estão em inglês mas valem o esforço de uma visita ao Google Translate.

Logótipo do portal ARASAACO portal ARASAAC, a que já nos referimos algumas vezes, oferece milhares de pictogramas sob uma licença Creative Commons (BY-NC-SA), que podem ser usados para a criação de diversos tipos de materiais pedagógicos e tabelas de comunicação.

Recentemente, foram adicionadas centenas de imagens novas. Para além da tradução para português do texto da professora Carmen Basill sobre Sistemas Aumentativos e Alternativos de Comunicação, aproveitámos para concluir a tradução dos pictogramas que não tinham o significado em português. Neste momento, a biblioteca de símbolos do ARASAAC está de novo integralmente traduzida.

A pesquisa e descarga de pictogramas no portal ARASAAC é simples mas criámos, mesmo assim, um pequeno vídeo que pode ajudar nas primeiras visitas e minimizar o tempo despendido. O vídeo tem menos de três minutos mas pode ler o resumo.

  1. Pesquisa por sinónimos - Se não encontrar um pictograma, procure sinónimos para a sua pesquisa
  2. Descarga de vários pictogramas ao mesmo tempo - Se estiver a descarregar vários pictogramas, pode armazená-los num ficheiro comprimido disponível na aplicação e, depois, descarregar o ficheiro
  3. Descarga de um pictograma - Para descarregar um pictograma, clique no ligação Descarregar imagem. O ficheiro de imagem tem o nome do pictograma pesquisado e fica armazenado na pasta de Transferências
  4. Visualização de pormenores - Para verificar se um pictograma lhe interessa, ver e ouvir noutras línguas ou confirmar se existem outras palavras associadas ao pictograma, clique sobre a imagem.
    1. Para descarregar o pictograma, use a ligação Descarregar imagem no canto inferior direito do ecrã
    2. Não use o botão direito sobre a imagem e a opção Guardar imagem como. A imagem descarregada por este processo não é legível para muitos programas.
  5. Biblioteca de imagens do ARASAAC offline - Pode descarregar um ficheiro que instala toda a biblioteca de imagens do ARASAAC no seu computador - esta opção é muito interessante para escolas sem ligação à internet ou em áreas com ligação lenta.

Se detectar incorrecções na tradução de algum pictograma, contacte-nos ou deixe um comentário.

Interface adaptada do Adapro com poucos botões e texto com pictogramasO adapro é mais um processador de texto para pessoas com dificuldades de aprendizagem como a dislexia ou o autismo. Pode ser descarregado gratuitamente, funciona sem necessidade de instalação a partir de qualquer suporte e funciona em vários sistemas operativos. É totalmente configurável para se adaptar às necessidades dos alunos, os botões das barras de ferramentas são grandes e a tarefa de gestão de documentos foi simplificada ao máximo.

Como no AraWord, existe a possibilidade de escrever um texto e ver imediatamente os pictogramas associados às palavras. No entanto, o programa tem muitas outras características que podem torná-lo especialmente adequado para alunos com dislexia ou outras dificuldades específicas. Eis algumas das vantagens apontadas pelos autores.

Teclados virtuais

Simulação de teclas com frases predefinidas referidas ou não a um contexto visual. Inclui-se uma aplicação auxiliar para a criação e edição de teclados.

Sarakanda

Letra específicamente desenhada para facilitar a leitura do texto.

PBDQ

Cores específicas das letras p, b, d e q para facilitar a sua diferenciação.

Modos de alto contraste

Combinações de coresde fundo e texto alternativas ao clássico negro sobre branco.

Gestão de documentos amigável

O sistema de ficheiros é transparente para o utilizador. Pode associar-se um pictograma ao documento. Vista rápida disponível para verificar o conteúdo do documento antes de abri-lo.

Interface de edição configurável

Podem ocultar-se botões segundo as necessidades do utilizador.

Multi-utilizador

Espaços de trabalho separados para cada utilizador. Identificação através de avatares.

Exportação para RTF

Conversão para um formato adequado para continuar a edição no Microsoft Word ou OpenOffice.

Descarga gratuita

Pode descarregar o programa a partir da página web do adapro.

Manuais em português

A utilização do adapro é muito simples e, para muitos alunos, imediata. No entanto, alguns aspectos relacionados com a gestão dos utiizadores ou a criação de teclados virtuais, por exemplo, podem apresentar dificudade adicional. Por isso, recomenda-se a leitura do manual de utilizador, do manual de administrador e do manual de teclados virtuais.
A partir de hoje, estes manuais estão disponíveis em português quando se descarrega a aplicação e na página do programa que agora tem uma versão portuguesa.
Se detectar alguma incorrecção ou quiser fazer uma sugestão, contacte-nos, deixe o seu comentário ou contacte os autores do programa. Caso já utilize o adapro e tenha teclados virtuais criados para os seus alunos, partilhe-os.