Saltar para o conteúdo

Professora Olga LizasoainA professora Olga Lizasoain, pedagoga e autora de livros sobre o apoio escolar a alunos em contexto hospitalar, ministrou recentemente mais uma edição do Curso Pedagogia hospitalaria na plataforma Miríada X.
O curso apresenta os aspectos específicos do trabalho com alunos hospitalizados que, para além de conviverem com a doença e com os respectivos procedimento médicos, devem também resolver os problemas da ausência de uma vida normal e os impactos sobre os contextos escolares, sociais e familiares.
Os objetivos do curso são analisar o impacto da doença e da hospitalização na vida pessoal e social dos alunos e das famílias e apresentar propostas de ação a partir da pedagogia hospitalar para a inclusão social e escolar dos alunos em situação de doença.
Aberto para consulta a todos os interessados, o curso é constituído por 7 módulos: Contextualização da Pedagogia Hospitalar; A doença na etapa infanto-juvenil; A hospitalização e suas características; Indicações gerais de actuação pedagógica no hospital; As aulas hospitalares; Intervenção educativa domiciliária; O regresso à escola.
O curso está disponível em língua espanhola.
A plataforma Miríada X é uma iniciativa da Telefónica Educación Digital e da Universia que, desde janeiro de 2013, apresenta cursos online (MOOC) de excelente qualidade, propostos por de centenas de universidades ibero-americanas num espaço em que se transmitem conhecimentos de forma livre de modo a fomentar a partilha de experiências e ideias.
[Este artigo foi também publicado no blogue das escolas de hospital.]

 No âmbito de mais uma iniciativa de divulgação de boas práticas e experiências inovadoras, a Direção Geral de Educação vem produzindo conferências que partilha semanalmente na página Webinars DGE.

No início de Março, foi apresentado um webinar que pretendia mostrar a experiência dos Centros de Recursos TIC para a Educação Especial (CRTIC) de Cinfães e de Portalegre na criação de soluções tecnológicas livres e de baixo custo para alunos com necessidades educativas especiais (NEE).

A rede nacional de CRTIC tem vindo a avaliar as necessidades dos alunos com NEE no que respeita a tecnologias de apoio para garantir o acesso ao currículo. Esta rede nacional, criada em 2007-2008,  constituiu-se nos últimos anos como a rede de entidades prescritoras de produtos de apoio financiados pelo Ministério da Educação que integra o Sistema Nacional de Atribuição de Produtos de Apoio, o qual abrange também o Ministério da Saúde e o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A exploração de soluções de baixo custo e de software livre que possam suprir as necessidades mais imediatas dos alunos é uma tendência que tem dado muitos frutos, possibilitando o surgimento de respostas personalizadas e propostas inovadoras.

No webinar Tecnologias de Apoio Livres e de Baixo Custo, a Dra. Laura Chagas, do CRTIC de Portalegre, e o Dr. Francisco Borges, do CRTIC de Cinfães, convidados deste webinar, falam das soluções tecnológicas que têm desenvolvido e dos desafios, descobertas e ganhos ao longo do caminho.

 No próximo dia 22 de abril, a Gulbenkian apresenta uma proposta muito atractiva de visita aos seus espaços. Convidando a "descobrir a arte em família de forma inclusiva", o Sábado a seguir à Páscoa será dedicado às famílias com crianças, jovens e adultos com necessidades educativas especiais.

Por isso, haverá actividades de cariz artístico para serem tocadas, cheiradas, ouvidas, dançadas, desenhadas ou somente observadas a partir dos diferentes acervos da Fundação Calouste Gulbenkian: Museu Gulbenkian, Música e Jardim, enquanto espaços inclusivos.

Visita desenhada, Brincar através da arte, DJ por um dia, O meu, o teu, o nosso jardim, Circo para todos, Começar e Visita dançada são as sete actividades disponíveis em diferentes horas do dia 22, todas para maiores de 6 anos. Veja os horários na página do evento Arte Acessível.

Para poder participar é necessária inscrição até ao dia 12 de abril, através do telefone 217 823 491, ou dos endereços de email mmendes@gulbenkian.pt ou mcrodrigues@gulbenkian.pt.

A Associação Salvador lançou o Manual para Pessoas com Deficiência Motora na quinta-feira, dia 30 de Março.
Na cerimónia de lançamento estiveram presentes a Dra. Ana Sofia Antunes, Secretária de Estado para a Inclusão das pessoas com deficiência, o Dr. Humberto Santos, Presidente do INR, o Presidente da Associação Salvador, Salvador Mendes de Almeida e representantes de várias instituições, nomeadamente aquelas que colaboraram na criação do manual.
Segundo o Presidente da Associação Salvador, o objectivo do Manual é "agregar todas as informações úteis que se encontravam dispersas, facilitando o dia-a-dia das pessoas com deficiência motora, cuidadores e técnicos."
Com mais de duzentas páginas, apresenta temas tão relevantes como a reabilitação, saúde, transportes, habitação, isenções fiscais, desporto, emprego, acessibilidade dos edifícios e uma extensa listagem de contactos.
Um dos capítulos é dedicado aos produtos de apoio e refere as entidades responsáveis pela sua atribuição e, dependendo da situação de cada pessoa, as etapas e formas de obter esses produtos. "Caso o produto de apoio seja para utilização em contexto escolar, a avaliação do mesmo é efetuada através dos Centros de Recursos TIC para a Educação Especial (CRTIC)."
O Manual está disponível em formato papel mas, com o objectivo de manter a sua validade através de actualizações regulares, está também disponível em versão digital.
Consulte ou descarregue o Manual para Pessoas com Deficiência Motora (formato PDF, 18 MB).

1

Participantes da reunião Iniciativa Competências Digitais

O acesso às competências digitais é uma forma de reforçar a cidadania (António Costa)

A Iniciativa Nacional Competências Digitais (INCoDe.2030) foi apresentada ontem, dia 3 de Abril, no Teatro Thalia, em Lisboa.

Segundo João Barros, CEO da empresa Veniam e orador convidado, só em Portugal há 15 mil empregos para programadores. Na Europa existe mercado para 500 mil pelo que o reforço do investimento nas competências digitais é um factor fundamental de competitividade. O Presidente do Fórum Permanente para as Competências Digitais, criado no âmbito desta Iniciativa, moderou um debate com empresários, representantes de alunos e um director de agrupamento de escolas. Encerrou a sessão o primeiro-ministro António Costa.

Com a iniciativa agora lançada, que se estende até 2030, pretende-se garantir a literacia e inclusão digitais para o exercício pleno da cidadania; estimular a especialização em tecnologias e aplicações digitais para a qualificação do emprego e uma economia de maior valor acrescentado; e produzir novos conhecimentos em cooperação internacional.

Para conseguir estes objectivos foram delineadas 33 medidas organizadas em cinco eixos: inclusão, educação, qualificação, especialização e investigação.

Com a Inclusão, quer-se generalizar o acesso às tecnologias digitais a toda a população, para obtenção de informação, comunicação e interacção. Na Educação, focam-se as camadas mais jovens e o reforço da literacia digital em todos os ciclos de ensino e de aprendizagem ao longo da vida. O eixo da Qualificação contém medidas para a capacitação da população ativa de modo a que possa participar num mercado de trabalho que depende das competências digitais. Com o quarto eixo promove-se a especialização em tecnologias digitais e aplicações para a qualificação do emprego e a criação de maior valor acrescentado na economia, nomeadamente através da formação contínua, mestrados especializados em competências digitais, laboratórios de inovação, etc. Com o eixo da Investigação aposta-se nas condições para a produção de novos conhecimentos e maior participação em redes e programas internacionais de Investigação e Desenvolvimento.

Para saber mais sobre esta Iniciativa e sobre a forma como está organizada, visite a página da INCoDe.2030.

 A Fundação AFID, em colaboração com o grupo Auchan-Jumbo de Alfragide e na sequência de um projeto de voluntariado dos seus colaboradores, organiza o evento Caminhar pela Diferença.

Esta Caminhada decorre no próximo dia 2 de abril, domingo, entre as 10h e as 11h30.

Existe um kit que pode ser levantado na sede da AFID Diferença até ao dia da Caminhada.

Os participantes devem obrigatoriamente inscrever-se na Caminhada. Existe um custo associado de 5 euros para os participantes com idade superior a sete anos.

O valor pode ser pago por transferência bancária no levantamento do kit da caminhada na sede da Fundação.

O percurso tem aproximadamente 5 km.

Esta Caminhada acontece no dia estabelecido em 2007 pela Organização das Nações Unidas como Dia Mundial da Consciencialização do Autismo. De entre as várias iniciativas que ocorrem neste dia, uma das mais mediáticas é a campanha Light It Up Blue: lares, casas comerciais e vários monumentos emblemáticos são iluminados de azul, e muitas pessoas vestem-se de azul, de forma a lembrar cada vez mais pessoas da importância de dar atenção às pessoas com autismo.

Consulte o Regulamento da Caminhada Caminhar pela Diferença (formato PDF) Para se inscrever utilize o formulário de inscrição Caminhar pela Diferença.

1

Apesar de mexer só o dedo, isso não me impede de mexer o mundo. (David Varela)

O David Varela foi o primeiro aluno em Portugal a terminar a licenciatura por videoconferência. Escolheu Sociologia, no ISCTE, e conclui o curso em 2012. Em seguida, escolheu um mestrado em Economia Social e voltou ao ISCTE, tornando-se no primeiro aluno a frequentar o mestrado por videoconferência.
Fez parte da direção nacional da Associação Portuguesa de Doentes Neuromusculares entre 2013 e 2014 e, em meados de 2013, decidiu criar a Vem Vencer, uma associação de apoio a crianças, idosos e pessoas com deficiência. No ano seguinte, a Vem Vencer é declarada Instituição de Utilidade Pública.
Um dia, convidámo-lo para nos falar das vantagens e o papel das tecnologias na sua escolaridade e na sua vida. E fê-lo. Para além disso, encantou os ouvintes com o seu humor, a sua história e a sua forma de ser. Pode ver o vídeo da participação do David Varela legendado.

O David deixou-nos no dia 12 de fevereiro, serena e subitamente. Podemos dizer que era assim que geria o seu dia a dia, com a imediatez calma de quem queria viver uma vida plena e construir caminhos novos.

Ser o primeiro, para abrir portas para os primeiros. Porque todos somos primeiros. (David Varela)

""Hoje é #DiaDaInternetSegura, diz-nos a Google.

Mas primeiro já o tinha dito a Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas da Direção-Geral da Educação que organizou para hoje uma sessão de videoconferência sob o tema Marca a diferença: Unidos por uma Internet melhor, de forma a comemorar o Dia da Internet mais Segura. As iniciativas que têm sido lançadas pretendem informar e proteger os utilizadores através da criação de materiais informativos e canais de apoio divulgados no site Seguranet e em eventos por todo o país.

A sessão de videoconferência Seguranet integra-se na iniciativa Líderes Digitais, que visa a promoção de comportamentos de utilização segura da internet, através da formação de jovens que possam ser mensageiros da utilização responsável das tecnologias digitais junto dos seus colegas e dos adultos da comunidade educativa.

Durante a sessão, que decorreu na EB23 José Cardoso Pires e em muitos outros pontos do país, foram partilhados materiais que podem ser usados para trabalhar temáticas como a pegada digital, o bullying, o cyberbullying, etc.

Dentre eles, o portal The Web We Want agrupa um conjunto de recursos estruturados como planos de aula, um manual para adolescentes e um manual para educadores que facilitam a tarefa de alunos e docentes no sentido de promover hábitos que ajudem à criação da internet que queremos.

Deixamos também a apresentação que serviu de base à sessão de videoconferência Seguranet (ficheiro Powerpoint, 9 MB) e que contém apontadores para muito mais recursos.

Na sua escola, que alunos utilizam o computador e a internet diariamente e são efectivamente Lideres Digitais? Desafie-os a receber formação para serem conselheiros Seguranet!

Encontro Nacional Todos Juntos Podemos LerVai realizar-se no próximo dia 27 de janeiro, entre as 9h30 e as 18 horas, no Fórum Picoas, em Lisboa, o Encontro nacional Todos Juntos Podemos Ler. Este Encontro quer ser um momento de reflexão e partilha do trabalho realizado no âmbito do Projeto Todos Juntos Podemos Ler e, ao mesmo tempo, um desafio para pensar ações futuras com vista à criação de uma efetiva cultura inclusiva, na escola pública atual.

O projeto Todos Juntos Podemos Ler, iniciado em 2011, integra atualmente 72 Agrupamentos de Escolas. Resulta de uma parceria entre a Rede de Bibliotecas Escolares, o Plano Nacional de Leitura e a Direção de Serviços de Educação Especial e Apoio Socioeducativo da Direção Geral da Educação. Para além da promoção da leitura junto dos alunos com Necessidades Educativas Especiais, o projeto assume-se como um espaço de partilha de saberes, de experiências e de materiais pedagógicos.

Os destinatários preferenciais do Encontro Todos Juntos Podemos Ler são os Diretores, Professores Bibliotecários e docentes de Educação Especial dos agrupamentos que integram o projeto, mas todos os interessados poderão inscrever-se, ficando a sua participação apenas sujeita à lotação do espaço.

Este encontro está reconhecido pela Direção-Geral da Educação como ação de curta duração.

O CANTIC, que esteve ligado ao projeto Todos Juntos Podemos Ler desde o seu início, participa no Encontro com a dinamização de uma oficina de criação de Livros ilustrados com o Tar Heel Reader.

Pode descarregar o programa do Encontro Todos Juntos Podemos Ler (em formato PDF) e saber mais sobre este evento e inscrever-se na página do Encontro Todos Juntos Podemos Ler.

Navegar na web é para todosAproveitando a energia acumulada dos pinhões, das passas e das vontades cheias para este ano, começamos 2017 com uma proposta de formação em acessibilidade web disponível para professores de todos os grupos disciplinares que confere um crédito aos participantes que a concluam com sucesso.
A ação de formação Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva é oferecida em regime de blended learning e tem uma duração de 25 horas. Começa já na 6ª feira, dia 13 de janeiro, com uma sessão presencial das 14h30 às 18h30. As seis sessões seguintes, ao ritmo de uma sessão por semana, decorrem em regime de e-learning. A última sessão, também presencial, deverá realizar-se no dia 10 de março de 2017.
As sessões presenciais decorrem na Escola Secundária de Sacavém, sede do Agrupamento de Escolas Eduardo Gageiro.
Esta formação foi criada com o principal objectivo de promover a acessibilidade das páginas das escolas, de modo a cumprirem padrões de acessibilidade consentâneos com as directrizes do World Wide Web Consortium para que possam ser compreendidas e pesquisáveis por todos os utilizadores, incluindo pessoas com cegueira, baixa visão, surdez, limitações de movimento ou limitações cognitivas.
Para mais informações, consulte o cartaz de divulgação da acção Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva ou o Centro de Formação de Loures Oriental.
Para inscrever-se, preencha e envie o impresso de inscrição na ação Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva para o email do Centro de Formação de Loures Oriental até ao dia 9 de janeiro de 2017.