Saltar para o conteúdo

 Decorreu no dia 6 de Julho, na Escola José Cardoso Pires, a reunião da rede de escolas de hospital do projecto TeleAula (Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Hospital de Dona Estefânia, Hospital de Santa Maria e Instituto Português de Oncologia). Às professoras dos hospitais e ao CANTIC juntou-se o professor Carlos, da EBI da Bobadela, que desenvolve regularmente actividades através de videoconferência com o HDE e o IPO.

Este encontro anual tem como objectivos a partilha do trabalho do ano lectivo e dos aspectos positivos e negativos registados e a definição da linha temática que ajudará a definir uma parte das actividades do ano lectivo.

Como tema para o ano de 2017-18, tomámos da União Europeia o Ano Europeu do Património Cultural com o qual se pretende incentivar a partilha e a apreciação do património cultural da Europa enquanto recurso partilhado, sensibilizar para a história e os valores comuns e reforçar o sentimento de pertença a um espaço europeu comum e decidimo-nos pelo mote Nós Somos Cultura.

As propostas de trabalho e colaboração passam assim pela valorização dos monumentos e de muitos outros aspectos que conformam a nossa cultura e nos identificam enquanto país. Mais uma vez, vamos socorrer-nos das parcerias com diferentes museus e com as escolas de referência para celebrar e conhecer melhor o que nos faz portugueses. Nesta árdua tarefa, contámos com a visita e ajuda da colega Sara e da Alice.

O almoço partilhado foi um momento extraordinário de descanso, convívio, boa disposição e partilha.

À tarde, tentámos fazer conviver os problemas de internet com as aprendizagens possíveis na actualização da nova página das escolas de hospital que pode visitar em www.escolasdehospital.pt.

Brevemente colocaremos aqui Fotos deste Encontro no álbum 20º Encontro TeleAula.

 Projeto Gulbenkian: Aprender na escola para a sociedade inclusivaO Centro Educatis e o Agrupamento de Escolas de Benavente promovem o Seminário Aprender na Escola para a Sociedade Inclusiva, nos próximos dias 10 e 11 de julho de 2017, na Escola Secundária de Benavente.

É uma iniciativa aberta a toda a comunidade educativa, em processo de certificação pelo Conselho Científico e Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC) e pela Direção Geral de Administração Escolar (DGAE).

As atuais políticas de inclusão educativa exigem que TODOS os professores possuam competências para lidar com as necessidades de TODOS os alunos. Neste contexto o Seminário/Curso Aprender na Escola para a Sociedade Inclusiva é orientado para o domínio científico, técnico e pedagógico dos professores mas também dos Assistentes Operacionais, dos Assistentes Técnicos, dos Técnicos Superiores, dos pais e encarregados de educação, pela abordagem que faz de temas que implicam diretamente a sala de aula e os contextos escolares e familiares.

Esta iniciativa representa o culminar de um processo formativo integrado no Projeto de intervenção - Aprender na Escola Inclusiva: a aprendizagem como estratégia de inclusão, financiado pelo Programa Gulbenkian Qualificação das Novas Gerações.

O projeto surge da necessidade de pensar a educação especial de uma forma integrada e integradora em cada agrupamento de escolasm, direcionando o nosso olhar para o ato educativo, para os processos de ensino-aprendizagem dos alunos com Necessidades Educativas Especiais. Partindo de uma abordagem geral da aprendizagem como estratégia de inclusão questionam-se as dificuldades de aprendizagem específicas, no sentido de procurar estratégias de intervenção, respostas educativas adequadas às múltiplas problemáticas das crianças e jovens com NEE em contextos escolar, familiar e hospitalar. Procura-se colmatar o défice de conhecimento sobre estas temáticas, promovendo práticas formativas e educativas promotoras da aprendizagem na escola, para uma sociedade inclusiva.

Aprender na Escola para a Sociedade Inclusiva fecha um ciclo formativo, no qual o CANTIC (CRTIC Amadora) também participou, apresentando, sistematizando e avaliando os seus principais resultados e dando visibilidade pública ao trabalho desenvolvido ao longo do ano letivo 2016/2017.

Pode consultar e descarregar o programa do Seminário Aprender na Escola para a Sociedade Inclusiva

A participação no seminário é gratuita mas está limitada a 150 participantes. Pode realizar a sua inscrição através do formulário do Seminário Aprender na Escola para a Sociedade Inclusiva.

 Para criar sítios web acessíveis é fundamental percebermos as necessidades dos utilizadores e a forma como conseguem aceder à informação. Depois de sabermos a importância de publicar conteúdos para o maior número de pessoas possível, é relativamente fácil implementar algumas regras de acessibilidade e remover as barreiras maiores entre utilizadores e a web. No entanto, com os avanços da tecnologia e da acessibilidade e a experiência dos utilizadores vão surgindo novos desafios que importa conhecer e superar.

Nesse sentido, no dia 9 de Junho podemos assistir a 24 webinars sobre acessibilidade no evento Inclusive Design 24 (ID24). Este evento gratuito realiza-se desde 2014 e é organizado pelo Paciello Group, uma referência na área da acessibilidade. Teve início como mais uma ideia para o Global Accessibility Awareness Day (GAAD) e, embora este ano o ID24 não se realize exactamente no Dia da Acessibilidade Global, os objectivos continuam idênticos.

De acordo com os organizadores, o Inclusive Design 24 celebra as iniciativas que, por todo o mundo, trabalham para que as pessoas com deficiência tenham acesso total e igual à web. Para isso, o evento constará de 24 seminários, um por hora, sobre várias temáticas da acessibilidade!!

Todos os webinars serão difundidos no Youtube através do Google Hangouts. Não é necessária inscrição prévia. Os participantes podem colocar questões aos apresentadores através do Twitter do @paciellogroup usando o hashtag #ID24.

O programa está disponível em http://www.inclusivedesign24.org/

Caso não baste a informação destas 24 horas, também estão disponíveis as sessões dos anos anteriores.

 A Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra realiza no dia 3 de junho de 2017, entre as 09:30h e as 16:30h, na Quinta da Conraria, em Castelo Viegas (Coimbra), a ação de formação Certificação de competências de alunos com NEE ministrada pela Dra. Filomena Pereira.

Esta ação de formação é dirigida a todas as pessoas que intervêm na certificação de competências de alunos com NEE, com especial ênfase para os docentes de todos os grupos de recrutamento, psicólogos, outros profissionais de educação e reabilitação e estudantes.

As inscrições já estão abertas. Pode inscrever-se online no Centro de Formação da APCC.

Pode consultar as condições de inscrição no ficheiro com o programa da ação de formação Certificação de competências de alunos com NEE (formato PDF).

A Sociedade Portuguesa de Engenharia de Reabilitação, Tecnologias de Apoio e Acessibilidade (SUPERA), promove as Jornadas SUPERA 2017, de 1 a 3 de Junho de 2017, nas instalações do Cace Cultural do Porto. São constituídas por quatro atividades principais, a saber:

Conferência Científica

Destina-se à partilha de trabalhos e projetos de Investigação, Desenvolvimento e Inovação e decorre no dia 1 de Junho. Pode ler e descarregar o programa da conferência científica SUPERA 2017.

Workshops

Ações de caráter prático para atualização e aperfeiçoamento de conhecimentos profissionais. Destinados a todo tipo de profissionais com interesse e/ou atividade na área e estudantes do ensino superior. Pode consultar o programa dos workshops SUPERA 2017 de 2 de Junho  e o programa dos workshops SUPERA 2017 de 3 de Junho.

Expo-SUPERA

Exposição de Tecnologias de Apoio e Acessibilidade, destinada a empresas de produtos e serviços nesta área, empresas de Tecnologias de Informação e Comunicação, apresentação de trabalhos ou projetos académicos e formação na área. Pode consultar a lista de expositores da Expo-SUPERA.

TOM: Porto

Maratona de Desenvolvimento de Tecnologias de Apoio e Acessibilidade. Saiba mais sobre o TOM: Porto e respectivo programa.

A participação na conferência, nos workshops e na TOM Porto é gratuita mas sujeita a inscrição. Para tal deve preencher o formulário de inscrição. Poderá ainda inscrever-se no próprio dia, no espaço do evento, caso existam vagas para as atividades pretendidas. A entrada na Expo-SUPERA também é gratuita.

A Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Prof.ª Doutora Fernanda Rollo estará presente nas Jornadas SUPERA no dia 1 de Junho. A Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Dra. Ana Sofia Antunes estará presente no dia 3 de Junho.

Papa Francisco

Só podemos construir o futuro mantendo-nos juntos, sem excluir ninguém (Papa Francisco)

Depois de algumas leituras sobre as virtudes e limitações dos Recursos Educativos Abertos e sobre a eliminação de barreiras como a necessidade da presença física em eventos (a propósito, Conferência OER2017 ou Open: The Philosophy and Practices that are Revolutionizing Education and Science) deparámos com um exemplo de palestra tornada possível através da presença virtual.

Poucos dias depois da sua visita a Fátima, pareceu-nos oportuno partilhar esta palestra com a mensagem que o Papa Francisco dirigiu aos participantes da conferência TED 2017, reunidos em Vancouver, no Canadá, no dia 25 de Abril.

A partir do tema da conferência The Future You, Francisco lembra que todos somos importantes na criação do futuro e de uma sociedade inclusiva, de esperança, solidariedade e ternura.

Todos precisamos de todos.

O futuro está nas mãos das pessoas que se reconhecem como fazendo parte de um "nós".

A existência de cada um de nós está interligada à dos outros - a vida não é tempo que passa mas tempo de encontro (Papa Francisco)

2

Oradores na homenagem ao David Varela

Todos somos primeiros (David Varela)

No dia 2 de Maio, a Escola de Sociologia e Políticas Públicas do ISCTE organizou as suas primeiras Jornadas Pedagógicas. Para iniciar os trabalhos deste encontro, a organização escolheu homenagear o David Varela, o primeiro aluno a licenciar-se com recurso exclusivo a um sistema de videoconferência e que, por isso, dizia que tinha sido o primeiro do que gostava que fossem muitos primeiros porque todos somos primeiros.

Nesta sessão, tivemos oportunidade de rever excertos de um vídeo com uma intervenção do David (que pode ver no artigo Homenagem a um vencedor) e a professora Margarida Perestrelo, o professor João Monteiro, a mãe do David, e uma ex-colega de curso do David falaram do privilégio de terem partilhado momentos fundamentais das suas vidas com o David Varela.

Nesta homenagem, soando também a declaração programática do que se pretendia para estas jornadas, referiu-se muitas vezes a importância da relação professor-aluno, a primazia das pessoas sobre a ditadura dos números ou o desafio que representou o David para o ensino superior. Vencido este desafio, a melhor homenagem é valorizar o exemplo deste aluno e continuar a sua obra, ajudando a criar uma Universidade verdadeiramente para todos.

Nas palavras de Margarida Perestrelo, o David foi "um aluno muito querido e estimado por todos, alunos, docentes e funcionários, que em muito contribuiu para que o Ensino Superior, e o ISCTE-IUL em particular, seja um ensino inclusivo permitindo que os alunos que não têm possibilidade de acompanhar as aulas fisicamente o possam fazer por videoconferência".

Professora Olga LizasoainA professora Olga Lizasoain, pedagoga e autora de livros sobre o apoio escolar a alunos em contexto hospitalar, ministrou recentemente mais uma edição do Curso Pedagogia hospitalaria na plataforma Miríada X.
O curso apresenta os aspectos específicos do trabalho com alunos hospitalizados que, para além de conviverem com a doença e com os respectivos procedimento médicos, devem também resolver os problemas da ausência de uma vida normal e os impactos sobre os contextos escolares, sociais e familiares.
Os objetivos do curso são analisar o impacto da doença e da hospitalização na vida pessoal e social dos alunos e das famílias e apresentar propostas de ação a partir da pedagogia hospitalar para a inclusão social e escolar dos alunos em situação de doença.
Aberto para consulta a todos os interessados, o curso é constituído por 7 módulos: Contextualização da Pedagogia Hospitalar; A doença na etapa infanto-juvenil; A hospitalização e suas características; Indicações gerais de actuação pedagógica no hospital; As aulas hospitalares; Intervenção educativa domiciliária; O regresso à escola.
O curso está disponível em língua espanhola.
A plataforma Miríada X é uma iniciativa da Telefónica Educación Digital e da Universia que, desde janeiro de 2013, apresenta cursos online (MOOC) de excelente qualidade, propostos por de centenas de universidades ibero-americanas num espaço em que se transmitem conhecimentos de forma livre de modo a fomentar a partilha de experiências e ideias.
[Este artigo foi também publicado no blogue das escolas de hospital.]

 No âmbito de mais uma iniciativa de divulgação de boas práticas e experiências inovadoras, a Direção Geral de Educação vem produzindo conferências que partilha semanalmente na página Webinars DGE.

No início de Março, foi apresentado um webinar que pretendia mostrar a experiência dos Centros de Recursos TIC para a Educação Especial (CRTIC) de Cinfães e de Portalegre na criação de soluções tecnológicas livres e de baixo custo para alunos com necessidades educativas especiais (NEE).

A rede nacional de CRTIC tem vindo a avaliar as necessidades dos alunos com NEE no que respeita a tecnologias de apoio para garantir o acesso ao currículo. Esta rede nacional, criada em 2007-2008,  constituiu-se nos últimos anos como a rede de entidades prescritoras de produtos de apoio financiados pelo Ministério da Educação que integra o Sistema Nacional de Atribuição de Produtos de Apoio, o qual abrange também o Ministério da Saúde e o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A exploração de soluções de baixo custo e de software livre que possam suprir as necessidades mais imediatas dos alunos é uma tendência que tem dado muitos frutos, possibilitando o surgimento de respostas personalizadas e propostas inovadoras.

No webinar Tecnologias de Apoio Livres e de Baixo Custo, a Dra. Laura Chagas, do CRTIC de Portalegre, e o Dr. Francisco Borges, do CRTIC de Cinfães, convidados deste webinar, falam das soluções tecnológicas que têm desenvolvido e dos desafios, descobertas e ganhos ao longo do caminho.

 No próximo dia 22 de abril, a Gulbenkian apresenta uma proposta muito atractiva de visita aos seus espaços. Convidando a "descobrir a arte em família de forma inclusiva", o Sábado a seguir à Páscoa será dedicado às famílias com crianças, jovens e adultos com necessidades educativas especiais.

Por isso, haverá actividades de cariz artístico para serem tocadas, cheiradas, ouvidas, dançadas, desenhadas ou somente observadas a partir dos diferentes acervos da Fundação Calouste Gulbenkian: Museu Gulbenkian, Música e Jardim, enquanto espaços inclusivos.

Visita desenhada, Brincar através da arte, DJ por um dia, O meu, o teu, o nosso jardim, Circo para todos, Começar e Visita dançada são as sete actividades disponíveis em diferentes horas do dia 22, todas para maiores de 6 anos. Veja os horários na página do evento Arte Acessível.

Para poder participar é necessária inscrição até ao dia 12 de abril, através do telefone 217 823 491, ou dos endereços de email mmendes@gulbenkian.pt ou mcrodrigues@gulbenkian.pt.

A Associação Salvador lançou o Manual para Pessoas com Deficiência Motora na quinta-feira, dia 30 de Março.
Na cerimónia de lançamento estiveram presentes a Dra. Ana Sofia Antunes, Secretária de Estado para a Inclusão das pessoas com deficiência, o Dr. Humberto Santos, Presidente do INR, o Presidente da Associação Salvador, Salvador Mendes de Almeida e representantes de várias instituições, nomeadamente aquelas que colaboraram na criação do manual.
Segundo o Presidente da Associação Salvador, o objectivo do Manual é "agregar todas as informações úteis que se encontravam dispersas, facilitando o dia-a-dia das pessoas com deficiência motora, cuidadores e técnicos."
Com mais de duzentas páginas, apresenta temas tão relevantes como a reabilitação, saúde, transportes, habitação, isenções fiscais, desporto, emprego, acessibilidade dos edifícios e uma extensa listagem de contactos.
Um dos capítulos é dedicado aos produtos de apoio e refere as entidades responsáveis pela sua atribuição e, dependendo da situação de cada pessoa, as etapas e formas de obter esses produtos. "Caso o produto de apoio seja para utilização em contexto escolar, a avaliação do mesmo é efetuada através dos Centros de Recursos TIC para a Educação Especial (CRTIC)."
O Manual está disponível em formato papel mas, com o objectivo de manter a sua validade através de actualizações regulares, está também disponível em versão digital.
Consulte ou descarregue o Manual para Pessoas com Deficiência Motora (formato PDF, 18 MB).

1

Participantes da reunião Iniciativa Competências Digitais

O acesso às competências digitais é uma forma de reforçar a cidadania (António Costa)

A Iniciativa Nacional Competências Digitais (INCoDe.2030) foi apresentada ontem, dia 3 de Abril, no Teatro Thalia, em Lisboa.

Segundo João Barros, CEO da empresa Veniam e orador convidado, só em Portugal há 15 mil empregos para programadores. Na Europa existe mercado para 500 mil pelo que o reforço do investimento nas competências digitais é um factor fundamental de competitividade. O Presidente do Fórum Permanente para as Competências Digitais, criado no âmbito desta Iniciativa, moderou um debate com empresários, representantes de alunos e um director de agrupamento de escolas. Encerrou a sessão o primeiro-ministro António Costa.

Com a iniciativa agora lançada, que se estende até 2030, pretende-se garantir a literacia e inclusão digitais para o exercício pleno da cidadania; estimular a especialização em tecnologias e aplicações digitais para a qualificação do emprego e uma economia de maior valor acrescentado; e produzir novos conhecimentos em cooperação internacional.

Para conseguir estes objectivos foram delineadas 33 medidas organizadas em cinco eixos: inclusão, educação, qualificação, especialização e investigação.

Com a Inclusão, quer-se generalizar o acesso às tecnologias digitais a toda a população, para obtenção de informação, comunicação e interacção. Na Educação, focam-se as camadas mais jovens e o reforço da literacia digital em todos os ciclos de ensino e de aprendizagem ao longo da vida. O eixo da Qualificação contém medidas para a capacitação da população ativa de modo a que possa participar num mercado de trabalho que depende das competências digitais. Com o quarto eixo promove-se a especialização em tecnologias digitais e aplicações para a qualificação do emprego e a criação de maior valor acrescentado na economia, nomeadamente através da formação contínua, mestrados especializados em competências digitais, laboratórios de inovação, etc. Com o eixo da Investigação aposta-se nas condições para a produção de novos conhecimentos e maior participação em redes e programas internacionais de Investigação e Desenvolvimento.

Para saber mais sobre esta Iniciativa e sobre a forma como está organizada, visite a página da INCoDe.2030.

 A Fundação AFID, em colaboração com o grupo Auchan-Jumbo de Alfragide e na sequência de um projeto de voluntariado dos seus colaboradores, organiza o evento Caminhar pela Diferença.

Esta Caminhada decorre no próximo dia 2 de abril, domingo, entre as 10h e as 11h30.

Existe um kit que pode ser levantado na sede da AFID Diferença até ao dia da Caminhada.

Os participantes devem obrigatoriamente inscrever-se na Caminhada. Existe um custo associado de 5 euros para os participantes com idade superior a sete anos.

O valor pode ser pago por transferência bancária no levantamento do kit da caminhada na sede da Fundação.

O percurso tem aproximadamente 5 km.

Esta Caminhada acontece no dia estabelecido em 2007 pela Organização das Nações Unidas como Dia Mundial da Consciencialização do Autismo. De entre as várias iniciativas que ocorrem neste dia, uma das mais mediáticas é a campanha Light It Up Blue: lares, casas comerciais e vários monumentos emblemáticos são iluminados de azul, e muitas pessoas vestem-se de azul, de forma a lembrar cada vez mais pessoas da importância de dar atenção às pessoas com autismo.

Consulte o Regulamento da Caminhada Caminhar pela Diferença (formato PDF) Para se inscrever utilize o formulário de inscrição Caminhar pela Diferença.

1

Apesar de mexer só o dedo, isso não me impede de mexer o mundo. (David Varela)

O David Varela foi o primeiro aluno em Portugal a terminar a licenciatura por videoconferência. Escolheu Sociologia, no ISCTE, e conclui o curso em 2012. Em seguida, escolheu um mestrado em Economia Social e voltou ao ISCTE, tornando-se no primeiro aluno a frequentar o mestrado por videoconferência.
Fez parte da direção nacional da Associação Portuguesa de Doentes Neuromusculares entre 2013 e 2014 e, em meados de 2013, decidiu criar a Vem Vencer, uma associação de apoio a crianças, idosos e pessoas com deficiência. No ano seguinte, a Vem Vencer é declarada Instituição de Utilidade Pública.
Um dia, convidámo-lo para nos falar das vantagens e o papel das tecnologias na sua escolaridade e na sua vida. E fê-lo. Para além disso, encantou os ouvintes com o seu humor, a sua história e a sua forma de ser. Pode ver o vídeo da participação do David Varela legendado.

O David deixou-nos no dia 12 de fevereiro, serena e subitamente. Podemos dizer que era assim que geria o seu dia a dia, com a imediatez calma de quem queria viver uma vida plena e construir caminhos novos.

Ser o primeiro, para abrir portas para os primeiros. Porque todos somos primeiros. (David Varela)

""Hoje é #DiaDaInternetSegura, diz-nos a Google.

Mas primeiro já o tinha dito a Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas da Direção-Geral da Educação que organizou para hoje uma sessão de videoconferência sob o tema Marca a diferença: Unidos por uma Internet melhor, de forma a comemorar o Dia da Internet mais Segura. As iniciativas que têm sido lançadas pretendem informar e proteger os utilizadores através da criação de materiais informativos e canais de apoio divulgados no site Seguranet e em eventos por todo o país.

A sessão de videoconferência Seguranet integra-se na iniciativa Líderes Digitais, que visa a promoção de comportamentos de utilização segura da internet, através da formação de jovens que possam ser mensageiros da utilização responsável das tecnologias digitais junto dos seus colegas e dos adultos da comunidade educativa.

Durante a sessão, que decorreu na EB23 José Cardoso Pires e em muitos outros pontos do país, foram partilhados materiais que podem ser usados para trabalhar temáticas como a pegada digital, o bullying, o cyberbullying, etc.

Dentre eles, o portal The Web We Want agrupa um conjunto de recursos estruturados como planos de aula, um manual para adolescentes e um manual para educadores que facilitam a tarefa de alunos e docentes no sentido de promover hábitos que ajudem à criação da internet que queremos.

Deixamos também a apresentação que serviu de base à sessão de videoconferência Seguranet (ficheiro Powerpoint, 9 MB) e que contém apontadores para muito mais recursos.

Na sua escola, que alunos utilizam o computador e a internet diariamente e são efectivamente Lideres Digitais? Desafie-os a receber formação para serem conselheiros Seguranet!

Encontro Nacional Todos Juntos Podemos LerVai realizar-se no próximo dia 27 de janeiro, entre as 9h30 e as 18 horas, no Fórum Picoas, em Lisboa, o Encontro nacional Todos Juntos Podemos Ler. Este Encontro quer ser um momento de reflexão e partilha do trabalho realizado no âmbito do Projeto Todos Juntos Podemos Ler e, ao mesmo tempo, um desafio para pensar ações futuras com vista à criação de uma efetiva cultura inclusiva, na escola pública atual.

O projeto Todos Juntos Podemos Ler, iniciado em 2011, integra atualmente 72 Agrupamentos de Escolas. Resulta de uma parceria entre a Rede de Bibliotecas Escolares, o Plano Nacional de Leitura e a Direção de Serviços de Educação Especial e Apoio Socioeducativo da Direção Geral da Educação. Para além da promoção da leitura junto dos alunos com Necessidades Educativas Especiais, o projeto assume-se como um espaço de partilha de saberes, de experiências e de materiais pedagógicos.

Os destinatários preferenciais do Encontro Todos Juntos Podemos Ler são os Diretores, Professores Bibliotecários e docentes de Educação Especial dos agrupamentos que integram o projeto, mas todos os interessados poderão inscrever-se, ficando a sua participação apenas sujeita à lotação do espaço.

Este encontro está reconhecido pela Direção-Geral da Educação como ação de curta duração.

O CANTIC, que esteve ligado ao projeto Todos Juntos Podemos Ler desde o seu início, participa no Encontro com a dinamização de uma oficina de criação de Livros ilustrados com o Tar Heel Reader.

Pode descarregar o programa do Encontro Todos Juntos Podemos Ler (em formato PDF) e saber mais sobre este evento e inscrever-se na página do Encontro Todos Juntos Podemos Ler.

Navegar na web é para todosAproveitando a energia acumulada dos pinhões, das passas e das vontades cheias para este ano, começamos 2017 com uma proposta de formação em acessibilidade web disponível para professores de todos os grupos disciplinares que confere um crédito aos participantes que a concluam com sucesso.
A ação de formação Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva é oferecida em regime de blended learning e tem uma duração de 25 horas. Começa já na 6ª feira, dia 13 de janeiro, com uma sessão presencial das 14h30 às 18h30. As seis sessões seguintes, ao ritmo de uma sessão por semana, decorrem em regime de e-learning. A última sessão, também presencial, deverá realizar-se no dia 10 de março de 2017.
As sessões presenciais decorrem na Escola Secundária de Sacavém, sede do Agrupamento de Escolas Eduardo Gageiro.
Esta formação foi criada com o principal objectivo de promover a acessibilidade das páginas das escolas, de modo a cumprirem padrões de acessibilidade consentâneos com as directrizes do World Wide Web Consortium para que possam ser compreendidas e pesquisáveis por todos os utilizadores, incluindo pessoas com cegueira, baixa visão, surdez, limitações de movimento ou limitações cognitivas.
Para mais informações, consulte o cartaz de divulgação da acção Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva ou o Centro de Formação de Loures Oriental.
Para inscrever-se, preencha e envie o impresso de inscrição na ação Criação de sítios web acessíveis numa escola inclusiva para o email do Centro de Formação de Loures Oriental até ao dia 9 de janeiro de 2017.

Silhueta de casas, pinheiros e presentes e trenó com renas. Texto Feliz Natal
Imagem adaptada de Freepik.com

A paz sem vencedor e sem vencidos

Sophia de Mello Breyner Andresen

No último dia de um incrível outono, desejamos-lhe um Feliz Natal e um Ano de 2017 cheio de coisas boas, a nível pessoal e profissional. E que o verso da poeta (Sophia não gostava da palavra poetisa) seja cada vez mais uma realidade. E que nós sejamos seus obreiros.

" "Há poucos dias, recebemos a visita de um professor brasileiro que procurava documentar-se sobre a resposta das escolas portuguesas aos desafios da diversidade. Por isso, visitámos uma Unidade de Apoio à Inclusão de Alunos com Multideficiência e uma sala Snoezelen que existe no Agrupamento e que está aberta às estruturas da Comunidade que dela necessitam.

O resto do tempo disponível foi gasto num diálogo profícuo em que mostrámos o funcionamento dos Centros de Recursos TIC e o seu papel na avaliação e apoio aos alunos que precisam de tecnologias de apoio e na formação de docentes. Ao mesmo tempo, percebemos melhor a realidade das escolas do Brasil, os ganhos da escola inclusiva e os caminhos novos que vão trilhando e que se cruzam em múltiplos aspectos com o percurso de Portugal.

Entre os materiais partilhados no nosso encontro, a brochura Tecnologia Assistiva nas Escolas: Recursos Básicos de Acessibilidade Sociodigital para Pessoas Com Deficiência (2ª edição) apresenta um capítulo sobre acessibilidade, outro sobre o computador enquanto tecnologia de apoio na educação e um terceiro capítulo sobre materiais que podem ser construídos ou adpatados pelas escolas.

Por muito tempo, predominou a visão da deficiência como um problema individual, transferindo à pessoa a responsabilidade de “mudar” ou “adaptar-se” para viver em sociedade. A partir da década de 1960, essa visão começou a ser questionada e, pouco a pouco, a deficiência passou a ser entendida a partir da interação das pessoas com o contexto em que vivem. No modelo inclusivo, fundamentado nessa visão, cabe à sociedade adaptar-se para acolher as diferenças e promover condições de acesso – para todos os cidadãos, com ou sem deficiência – aos serviços coletivos de saúde, educação, trabalho, locomoção, segurança etc. (In Tecnologia Assistiva nas Escolas)

A brochura Tecnologia Assistiva (Ta): Experiências Inovadoras - Soluções de Acessibilidade apresenta alguns projectos concluídos, outros à procura de condições para avançar e ainda ferramentas gratuitas.

O livro As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas reúne contribuições de muitos autores e debruça-se sobre as tecnologias de informação e comunicação, as tecnologias de apoio e a formação de professores.

Veja algumas fotos do encontro no álbum Visita do Brasil.

Guia de Recursos para a Área da Deficiência3 de Dezembro

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência trouxe, mais uma vez, consigo inúmeras celebrações com as quais todos temos que congratular-nos. É, no entanto, fundamental assegurar que este dia não se encerre em si próprio, tenha repercusssões e que os motivos da celebração não se esgotem numa semana. No lançamento de um guia que congrega os recursos disponíveis na Amadora, a Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência falou da necessidade de criar condições para um trabalho efectivo que tenha em conta as pessoas, nomeadamente as que têm deficiência, também no resto do ano. Ana Sofia Antunes sublinhou a importância do Guia de Recursos para a Área da Deficiência para esse objectivo e comunicou ainda o próximo alargamento do número de balcões da inclusão a todas as sedes de distrito do país. Veja a vídeo-reportagem Autarquia Lança Guia de Recursos para a área da Deficiência ou as fotos do acontecimento no álbum do Lançamento do Guia de Recursos para a Deficiência.

3/2008

O nosso título desajeitado remete também para a proximidade das alterações ao Decreto-Lei sobre Educação Especial. No dia 3 de Dezembro, no Congresso Internacional sobre Escola Inclusiva, a Dra. Luísa Ucha, do Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento da Escola Inclusiva (criado pelo Despacho n.º 7617/2016 de 8 de Junho), apresentou um conjunto de ideias fundamentais a partir das quais será elaborada nova legislação neste âmbito. Apesar de terem sido referidas mudanças concretas como a eliminação da medida Currículos Específicos Individuais ou a criação dos Centros de Apoio à Aprendizagem, o conjunto de novidades deixa antever as enormes mudanças que se avizinham e obriga à leitura atenta do Relatório de Progresso do Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento da Escola Inclusiva.

Nova página do CANTIC

Aproveitando o dia 3 de Dezembro, lançámos uma nova página do CANTIC. Apesar desta alteração corresponder a mudanças internas significativas, externamente pretendemos apenas simplificar a disponibilização da informação, tornar a página ainda mais acessível e juntar no mesmo endereço os conteúdos estáticos e o blogue. Para já, pode aceder à nova página em http://cantic.org.pt/wp.  Agora já pode aceder à página do CANTIC no endereço principal. Os conteúdos do blogue serão temporariamente duplicados também no endereço http://cantic.org.pt/blog. Esperamos assim contribuir para uma melhoria da experiência de navegação no sítio do CANTIC e, sobretudo nesta fase inicial, agradecemos o seu feedback e sugestões.