Saltar para o conteúdo

No ano passado, falávamos sobre um documentário que retratava as férias nas Ilhas Canárias de Maria e Miguel Gallardo e das dificuldades e alegrias de ter um filho com autismo e sobre um livro que entretanto tinha sido publicado em Portugal.

A Fundación Orange produziu há alguns anos uma curta metragem de animação chamada "A Viagem de Maria".  O guião, ilustração e direcção são do ilustrador Miguel Gallardo, a música é de Pascal Comelade e a animação é de La Pera Animación.

Miguel Gallardo diz que este vídeo não é sobre o autismo mas "sobre o carinho, sobre a relação entre um pai e uma filha que, apesar das dificuldades de comunicação, transmitem alto e claramente a sua mensagem de amor". E esta reflecte-se de tal forma no vídeo que vale a pena gastar cinco minutos ou dez a ver e rever.

A Viagem de María foi galardoado com o Prémio Especial do Júri no festival Autismovie 2015, realizado em Cagliari, Italia, este ano.

Para saber mais sobre esta animação, sobre o projecto que a envolve e sobre apps relacionadas para Android e IOS (que não conseguimos encontrar) vá à página específica da Fundación Orange.

Deixamos uma versão do vídeo com legendas em português europeu (escolha a opção de legendagem no canto inferior direito), que traduzimos para tornar as susas férias ainda melhores.

Três crianças debruçadas sobre um livro abertoAgora que o conforto dos fins de tarde e os fins de semana com sabor a verão nos convidam a retomar os livros interrompidos, parece mais do que nunca a altura para relembrarmos a importância da literacia.

Existem muitos estudos sobre os impactos da literacia na saúde. Todos parecem concluir que existe uma associação entre a baixa literacia e problemas de saúde.
Segundo um estudo canadiano, cuja validade foi recentemente reiterada pela Canadian Paediatric Society, promover a literacia é um aspecto fundamental a ter em conta na prática da medicina preventiva e vai mais longe dizendo que a literacia é não só um bom medicamento como também uma decisão económica inteligente.

O programa Ler+ dá saúde apontava para o papel dos profissionais de saúde na promoção da literacia e disponibilizava uma brochura com várias consequências directas e indirectas dos níveis de literacia na saúde.

Embora não tenhamos conhecimento em Portugal de projectos em que os profissionais de saúde ponham explicitamente em prática as recomendações decorrentes destes estudos, em muitos hospitais, no apoio às consultas e aos alunos em internamento, existem profissionais da educação que providenciam acompanhamento escolar.

No Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Hospital de Dona Estefânia, Hospital de Santa Maria e Instituto Português de Oncologia de Lisboa consideramos fundamental a criação de espaços escolares estimulantes que proporcionem actividades educativas ricas, de modo a minimizar os riscos que, a nível escolar e social, podem advir dos internamentos.

A avaliação deste trabalho, parcialmente espelhado no blogue das escolas de hospital, é posta em comum no final de cada ano lectivo no Encontro TeleAula.
Para saber mais sobre as actividades que as escolas realizam e partilham entre si, visite o blogue dos hospitais. Para ver algumas imagens do 18º Encontro TeleAula, veja o artigo anterior e o vídeo que disponibilizamos aqui.

Este artigo foi publicado também no blogue das escolas de hospital.

Professora Maria Manuel com alunasO CANTIC está sediado na EB 2,3  José Cardoso Pires, no Concelho da Amadora.

Este ano lectivo, o Agrupamento abriu uma Unidade de Apoio à Multideficiência e Surdocegueira Congénita, para dar continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado com os alunos que transitaram para o 5º ano, provenientes da Unidade de  Apoio à Multideficiência do 1º ciclo da Escola José Garcês, que pertence ao mesmo agrupamento de escolas.

A sala é frequentada por cinco alunos portadores de necessidades educativas permanentes, acompanhados por duas Professoras de Educação Especial e uma Assistente Operacional. A Unidade já tem um blogue no qual se começaram já a divulgar as actividades realizadas, desde as tradicionais comemorações festivas aos mais diversos desafios pedagógicos que vão realizando com os alunos da sala.

1

Ilustração com Maria e Miguel GallardoCom as férias em pleno, mal seria não recomendar uma leitura estival. O livro Maria e eu, do ilustrador catalão Miguel Gallardo, foi publicado há já dois anos pelas Edições ASA mas não se encontra facilmente nas livrarias. Através de desenhos, conta as peripécias de uma viagem de férias de uma semana às Canárias de um pai e da sua filha autista. O livro é um documento pungente da relação entre dois mundos: vale pela leitura, pela mensagem, pela candura mas também pelas magníficas ilustrações.

Com base no livro (o original espanhol é de 2008), Félix Fernández de Castro realizou um documentário em 2010, utilizando parte dos desenhos de Gallardo. O documentário está disponível online, na página da TVE sobre a rubrica El Documental. Clique aqui para ver o documentário premiado.

No passado dia 11 de Fevereiro comemorou-se o "Dia da Internet Mais Segura". No sentido de divulgar e alertar para os perigos da Internet junto da comunidade escolar, o Ministério da Educação e Ciência convidou todas as escolas a participarem com actividades que incluem spots, reportagens, entrevistas, notícias, peças de teatro e outras acções de divulgação.
O CANTIC associou-se, mais uma vez, a esta iniciativa, desafiando uma turma da Escola Básica José Cardoso Pires e alguns hospitais a ligarem-se por videoconferência para falar sobre o tema da segurança na Internet.
Para apoio às escolas no desenvolvimento de actividades próprias, no Portal das Escolas encontramos sugestões de actividades a desenvolver com os alunos e também um Banco de Recursos para o 1º e 2º ciclo. De referir que algumas destas actividades podem ser acedidas pelo teclado mas existem vários problemas de acessibilidade que valeria a pena resolver.

Fica o vídeo de uma ligação por videoconferência dando conta de vários momentos interessantes. Aviso: As filmagens não foram realizadas nas melhores condições. E nota-se!

Imagem decorativaEncontram-se abertas, até dia 30 de março de 2014, as inscrições para o curso online «Inclusão e Acesso às Tecnologias», promovido pela Direção-Geral da Educação em colaboração com o Centro de Recursos TIC para a Educação Especial de Santarém e o Centro de Competência TIC da ESE de Santarém, no âmbito do projeto europeu SENnet.
O curso tem a duração de 10 semanas e decorrerá entre 31 de março e 8 de Junho 2014.
O curso está aberto a qualquer interessado, embora tenha sido concebido para uma comunidade educativa que lida com alunos com necessidades educativas especiais.
As inscrições devem ser feitas na página web - http://inctec2014.blogspot.pt/ e para informação mais detalhada deve consultar a página «Para começar» onde se encontra o guião do curso.

vodafoneA Vodafone lançou recentemente o serviço Vodafone Voz para SMS, que permite converter as mensagens de voz do telemóvel em mensagens de texto.

Todos os clientes Vodafone podem ter este serviço que, no entanto, obriga a que o Voice Mail não esteja activo. A conversão de mensagens não é gratuita.

Com esta possibilidade, podemos receber informações importantes sem necessidade de aceder à caixa de correio de voz. Os ganhos em termos de usabilidade são importantes e facilitam a comunicação a pessoas com deficiência motora, que podem agora deixar mensagens de voz para serem lidas como SMS, e pessoas surdas, que passam a poder ler o conteúdo das mensagens de voz.

Para mais informações sobre este serviço, consulte o site da Vodafone.

3simposio-investigacao-em-educac3a7c3a3o-especial-e-inclusivaNo próximo dia 11 de Outubro de 2013, sexta-feira, pelas 17:30 irá decorrer o 3º Simpósio Investigação em Educação Especial e Inclusiva, nas instalações do Instituto Jean Piaget  de Almada.

Alguns dos estudos sobre a realidade da Educação Especial e Inclusiva em Portugal que têm vindo a ser produzidos no âmbito do Mestrado em Educação Especial da Escola Superior de Educação Jean Piaget de Almada são aqui apresentados.

É no sentido de dar a conhecer e de interagir com este conhecimento que o Mestrado em Educação Especial da ESE Jean Piaget de Almada organiza, anualmente, o presente Simpósio. Constitui, igualmente, um objetivo deste evento, apresentar aos participantes a organização do curso e as linhas de investigação envolvidas.

(Fonte: facebook Instituto Piaget)

Logótipo Daisy ConsortiumRecentemente, a Biblioteca Nacional de Portugal que, na sua essência, tem como missão manter vivos os recursos da sua língua, história e identidade, assim como a conservação, acesso e internacionalização, aumentou o seu valor social através da promoção de iniciativas convergentes com o mundo da pesquisa, associando-se ao Consórcio Daisy.

Desde 2005 são produzidos em Portugal manuais escolares e outros livros em formato Daisy (Digital Accessible Information System), formato áudio-digital com funcionalidades acrescidas para pessoas cegas ou com baixa visão. A produção destes livros é fruto de uma parceria estabelecida entre o Ministério da Educação e Ciência, a Fundação Vodafone e a Porto Editora.

O Ministério da Educação e Ciência, norteando a sua ação pelo princípio de que nenhum aluno, por condições de deficiência ou incapacidade, deverá estar limitado no seu acesso à leitura e à informação escrita, tem vindo, no âmbito das suas responsabilidades, a apostar de forma clara no incentivo à produção de materiais de leitura em formatos acessíveis a alunos com necessidades educativas especiais. Neste contexto, os enunciados das provas finais de ciclo e dos exames finais nacionais dirigidos a alunos cegos e com baixa visão em 2013, já foram apresentados em formato Daisy (Digital Accessible Information System).

Logótipo do ColorAddO ColorADD é um sistema de identificação de cores desenvolvido com base nas três cores primárias, representadas através de símbolos gráficos. Assenta num processo de associação lógica, através do conceito de adição das cores, que permite às pessoas com daltonismo relacionar os símbolos e identificar facilmente toda a paleta de cores. O branco e o preto surgem para orientar as cores para as tonalidades mais claras ou escuras.

A implementação do código ColorAdd para alunos com daltonismo já começa a dar alguns passos. O Ministério da Educação e Ciência incentiva as escolas à utilização deste recurso educativo por forma a garantir a plena integração do público daltónico sempre que a cor seja um fator determinante na comunicação e na aprendizagem.

A inclusão do código ColorADD enquanto sistema complementar à legendagem de mapas, figuras ou esquemas, e também nas provas de avaliação e exames nacionais, justifica-se sempre que a cor é um fator determinante para a leitura do enunciado e para a produção da resposta, possibilitando assegurar condições de equidade no universo de alunos com daltonismo.

Pode ver um exemplo de boas práticas na biblioteca da Escola EB1 nº2 de Mem Martins, a primeira Biblioteca do Mundo com o Sistema de Identificação de Cores para pessoas com daltonismo.