Saltar para o conteúdo

Captura de ecrã do PlaphoonsComo já referimos anteriormente, o Plaphoons foi criado como um programa para comunicação aumentativa mas apresenta características que permitem usá-lo para outras actividades. O vídeo abaixo mostra um exemplo de utilização pedagógica do Plaphoons: a criança deve escolher um de três animais baseando-se na divisão entre animais domésticos e animais selvagens. Este conteúdo programático faz parte da disciplina de Estudo do Meio, no primeiro ciclo. A actividade pode ser realizada por crianças não-leitoras e pode ser acedida através de varrimento. Para isso, deve activar a opção de leitura da primeira célula ao abrir uma tabela (menu Opções) e o varrimento (menu Controlo) - como pode ver no vídeo a partir dos 4:20 minutos.

1

Quatro surdos convivemNo dia 11 de Abril de 2014, durante o no 3º Congresso Internacional de Educação de Surdos, a Fundação PT apresentou a Academia LGP, fruto de uma iniciativa da Fundação PT em parceria com o Centro de Educação e Desenvolvimento Jacob Rodrigues Pereira (CEDJRP). A Fundação criou um Canal MEO, aloja os vídeos no SAPO Vídeos, grava a voz-off e montagem de vídeos e doou equipamento de produção de vídeo ao CEDJR.

Neste momento, estão disponíveis 300 vídeos que explicam conceitos de Físico-Química, História e Matemática e que podem ser acedidos no site da Academia LGP e prevê-se que sejam 700 no final deste ano.

A Fundação PT agradece contributos para continuar a desenvolver a Academia LGP, por exemplo, através de sugestões sobre conteúdos disciplinares prioritários e respectivos anos de escolaridade.

Numa outra parceria, desta feita com a Khan Academy, a Fundação PT tem vindo a traduzir para português os conteúdos disponíveis na conhecida plataforma criada por Salma Khan. Os quase 500 vídeos em português abrangem, por agora, as disciplinas de Física, Matemática e Química. Pode vê-los no canal Youtube específico ou no Sapo Vídeos.

[Foto de daveynin]

Piscina de bolas - pormenor da sala SnoezelenNo dia 11 de Junho, foi inaugurada a sala Snoezelen da Escola Básica José Garcês do Agrupamento de Escolas José Cardoso Pires, na Amadora, com a presença dos professores do Agrupamento, representantes da Câmara Municipal, do Instituto Nacional de Reabilitação, etc.

Depois da apresentação do projecto, os participantes foram divididos em dois grupos para visita à sala da Unidade de Apoio à Multideficiência e à sala Snoezelen. Na sala da Unidade, decorada a rigor para a festa de finalistas dos alunos que se despedem este ano daquele espaço, foi possível entrever a azáfama diária que já tivemos oportunidade de ver noutras alturas. Para a visita à sala Snoezelen, os participantes foram vendados e convidados a entrar ouvindo sons da natureza, a adivinhar aromas (café, alho, cacau, canela,...), a experimentar os dispositivos com que se pode interagir e a desfrutar de todas as actividades disponíveis naquele espaço.
As salas Snoezelen são ambientes de estimulação sensorial que exploram os benefícios produzidos por estímulos específicos nos comportamentos de pessoas com deficiência mental. Os primeiros espaços Snoezelen surgiram no Centro De Hartenberg, na Holanda, através dos terapeutas Ad Verheul e Jan Hulsegge, em meados dos anos 70. Em 1983 foi construída a primeira sala Snoezelen permanente. O conceito deriva da contracção das palavras holandesas snuffelen (explorar, sentir) e dozelen (relaxar).
Na sala Snoezelen da EB1 José Garcês podemos encontrar equipamentos e estímulos muito variados - tubos de bolhas, projectores com rodas de cores e imagens, uma bola de espelhos, uma piscina de bolas, colchões, uma cama de rede, cadeira de baloiço, música e sons da natureza. A Diretora do Agrupamento, Dra. Cristina Madaleno, teceu grandes elogios ao projecto e a quem o levou a cabo e desafiou todos os presentes a verem a sala Snoezelen como uma mais valia para a escola mas também como um espaço aberto ao Agrupamento.

Para saber mais, visite o blogue da UAM ou clique aqui para ver o vídeo com imagens do evento.

Composição com imagens de frutos

Para criar materiais educativos digitais, existem muitos recursos gratuitos de excelente qualidade espalhados pela Web. No caso das imagens, no entanto, o formato mais comum é o JPG ou JPEG (Joint Pictures Expert Group) e, se este formato permite uma elevada compressão das imagens sem perda significativa de qualidade, o formato PNG (Portable Network Graphics) é melhor sob muitos aspectos. Entre os que mais nos interessam está a possibilidade de podermos usar a "cor" transparente.

No site Aumentativa 2.0, para além de um conjunto de actividades que vale a pena visitar e dos milhares de pictogramas e fotografias, existem ainda imagens em formato PNG com tamanho de 400x300 pixéis e fundo transparente agrupadas por categorias em ficheiros comprimidos. Assim, pode, por exemplo, descarregar um ficheiro com 30mb com imagens da cozinha ou uma centena e meia de imagens do corpo humano, etc.

No âmbito do Projecto RISCA, celebrado entre o CANTIC e o Agrupamento de Escolas Eduardo Gajeiro, de Sacavém, os alunos de Artes têm criado ilustrações para criação de jogos educativos. Pode descarregar as imagens dos frutos desenhados pelo Dombasi (se partilhar actividades com estas imagens, refira a autoria) clicando no botão abaixo.

[sdm_download id="976" fancy="0"]

1

elefante tenta alcançar bananas presas numa vara segura por menina montada no elefanteA utilização de recursos visuais em contexto escolar é essencial para tornar presentes e estudar conceitos, objectos ou espaços que, de outra forma, poderiam não estar disponíveis. A ilustração de um elefante, a foto de uma pessoa feliz, a representação esquemática de um átomo, um vídeo do mar são, por isso, objectos educativos que professores e educadores procuram diariamente de modo a explorarem todo o seu potencial pedagógico com os alunos.

No âmbito da educação especial, têm também outras aplicações como a construção de horários, listas de tarefas, etiquetas de equipamentos, objectos e locais, jogos de memória, fichas de trabalho, tabelas de comunicação e outros recursos educativos.

Os programas Comunicar com Símbolos (Imagina) e GRID2 e Speaking Dynamically Pro (ANDITEC) disponibilizam milhares de pictogramas (Widgit, SPC) que muitos professores utilizam para comunicação aumentativa mas também para outras finalidades.

Para quem quer usar fotos e ilustrações ou não possui estes programas, infelizmente, a busca de imagens na Internet não é uma solução simples, implicando questões de autoria nem sempre resolúveis e obrigando a gastos de tempo com resultados nem sempre positivos. De facto, encontrar conjuntos de recursos de qualidade, com características semelhantes é um desafio.

Máquina fotográfica

Uma máquina fotográfica é uma ferramenta importante na escola. Portanto, pegue na máquina e tire as fotos de que precisa ou crie actividades com os alunos para, juntos, obterem as imagens necessárias.

Flickr

Apesar de haver imensas comunidades de partilha de fotos como o Flickr (www.flickr.com), a popularidade deste site e os milhões de fotos que os utilizadores disponibilizam com base em licenças Creative Commons tornam-no um repositório de eleição para responder a qualquer demanda. Para facilitar a pesquisa neste mar de informação pode usar o site  http://compfight.com.

Freeimages

Site (www.freeimages.com) com mais de 400000 imagens em que é possível obter e partilhar fotos e ilustrações gratuitas.

FreePik

No Freepik (www.freepik.com) pode pesquisar 1,4 milhões de ficheiros vectoriais, ilustrações, ícones, fotos, etc.

Medium.com

Artigo com uma listagem de sites onde é possível encontrar fotos gratuitas em alta resolução – desde paisagens a vacas com botas ou fotos proveninentes de arquivos públicos – e símbolos em formato vectorial. Uma visita breve permite perceber as potencialidades pedagógicas de muitos dos recursos que são aqui apresentados. Disponível em medium.com/p/62ae4bcbe01b

Microsoft Office

É possível obter imagens a partir da ferramenta Clipart do Microsoft Office mas também a partir do site da Microsoft directamente em office.microsoft.com/pt-pt/images. As ilustrações e fotos são cada vez de maior qualidade.

Flaticon

Site (www.flaticon.com) com ícones em format vectorial.

ARASAAC

“O portal ARASAAC oferece recursos gráficos e materiais para facilitar a comunicação de pessoas com dificuldades nesta área. Este projecto foi financiado pelo Departamento de Industria e Innovación del Gobierno de Aragón. Actualmente, o projecto é coordenado pelo CAREI, apoiado tecnicamente pelo CATEDU e financiado pelo Fundo Social Europeu." Encontra estes recursos em www.catedu.es/arasaac ou arasaac.org

Banco de imágenes y sonidos

O Banco de Imágenes y Sonidos (recursostic.educacion.es/bancoimagenes/web) é uma iniciativa do Ministério da Educação espanhol que assim disponibiliza recursos educativos audiovisuais (fotos, vídeos, ilustrações, sons, animações) para a comunidade educativa de modo a facilitar e estimular o desenvolvimento de conteúdos.

É possível colaborar com esta iniciativa através do envio de recursos.

ConnectAbility

O site ConnectAbility, em connectability.ca/visuals-engine, contém 300 fotografias e mais de 400 pictogramas SPC.

Tem também uma ferramenta de criação de suportes visuais que pode ser usada para tabelas de comunicação e outros materiais com 1, 2, 4, 6, 12 e 16 imagens por página. Além das que são disponibilizadas, pode carregar imagens do seu computador.

Ficha com campos de formulárioComo referíamos na primeira newsletter, é o contacto diário com os alunos e professores que nos faz alimentar e perceber o quão importante é esta partilha!
O blogue tem vindo a construir-se semanalmente como espaço de reflexão aberta para todos os professores, alunos, pais e profissionais que exploram a importância das tecnologias de apoio na inclusão.
Ao publicar o artigo sobre formulários no Word 2003, alguns professores comunicaram-nos a dificuldade em realizar os mesmos procedimentos no Word 2007 e 2010. De facto, nas versões mais recentes, é necessário activar um separador que, para além de outras ferramentas importantes, contém os botões para a construção de formulários.
Sentimos, por isso, a necessidade de partilhar um vídeo que tenha em conta as especificidades das novas versões. Apesar de mostrarmos no vídeo a interface do Word 2007, os passos são idênticos nas versões do Word 2010 e Word 2013.
Pode também descarregar os ficheiros tutoriais em PDF correspondentes ao Word 2007 directamente na página do CANTIC.
Em breve publicaremos um artigo sobre a criação de formulários no Open Office, uma solução gratuita de elevada qualidade, que usamos e recomendamos cada vez mais.

Imagem inicial da actividade GRID2O acesso indirecto através de varrimento possibilita a utilização de equipamentos e recursos que, de outro modo, não estariam disponíveis para muitos alunos.

No entanto, esta técnica só pode ser usada quando não há outras opções, por ser muito complexa e morosa. O utilizador está sempre dependente do varrimento de um conjunto de opções que pode ser vasto. Deixar passar a opção correcta implica novo ciclo de varrimento; seleccionar a opção errada implica novo ciclo (caso não seja necessário mais um ciclo para apagar o erro). Assim, o tempo de espera pela opção correcta obriga a enorme atenção e concentração. Encontrar a velocidade ideal é um processo que depende das características do aluno mas também pode depender do período do dia, nível de cansaço, etc.
Por isso, para utilizadores de varrimento, é fundamental simplificar tarefas. O GRID 2 tem algumas características que minimizam o esforço de uso como, por exemplo, a predição de texto para as tarefas de escrita.

A educadora Anabela Caiado partilhou teclados interessantes no espaço online da Sensory para o GRID 2. Para um aluno que usa vários destes teclados, decidimos alterar a mensagem inicial (no teclado Escolhe a palavra P) de modo a que se ouça a voz automaticamente. Desta forma, as mensagens e sugestões iniciais são ouvidas pelo aluno sem necessidade de cliques adicionais. O vídeo abaixo mostra o processo de alteração.

1

Documento com formuláriosA realização de testes e fichas escritas, componente fundamental do processo de avaliação, coloca a muitos alunos dificuldades que ultrapassam o desafio intelectual inerente a estas provas. Para mitigar o esforço da resposta escrita, os alunos podem usar computador, ter mais tempo para realização das provas e, inclusive, criar com os professores estratégias de simplificação do processo de resposta (usar abreviaturas, responder por tópicos, etc.).
No caso de usarmos o computador, é importante formatar os documentos de modo a torná-los acessíveis aos alunos que os vão utilizar. Os formulários são uma ferramenta disponível nos processadores de texto que pode ser implementada de forma simples e rápida nas fichas e testes já existentes. A criação de campos de resposta permite uma navegação facilitada e o foco na tarefa e evita a alteração acidental do enunciado. Assim, os alunos com deficiência motora e alguns alunos com deficiência visual beneficiam destas adaptações porque podem usar o teclado (tecla TAB) ou um switch para navegar rapidamente entre os campos de resposta.
O vídeo abaixo mostra a utilização de campos de formulário no Microsoft Word 2003.
Pode também descarregar os ficheiros tutoriais em PDF sobre a construção de formulários na página do CANTIC

2

Caderno de comunicaçãoQuem usa software de comunicação aumentativa tem hoje uma enorme variedade de opções gratuitas e comerciais que podem dar resposta às suas necessidades.
Os programas comerciais (The GRID 2, Speaking Dynamically Pro, Comunicar com Símbolos) ou as aplicações para tablets (Vox4all e outras) são, normalmente, soluções mais completas e robustas mas são muitas também as vantagens dos Recursos Educativos Abertos e software gratuito (para além da disponibilidade imediata e das possibilidades de melhoria e participação no desenvolvimento).
O Picto-Selector, o SISCODIS, o TICO ou mesmo o Picto4me (extensão para o Google Chrome) são exemplos com características e potencialidades diferentes mas com aspectos positivos que podem responder a um número significativo de pessoas.
O Plaphoons é outro programa gratuito, criado por Jordí Lagares Roset, um professor de matemática catalão.
Disponível há muitos anos, foi evoluindo e sendo enriquecido pelo autor com as numerosas sugestões dos seus utilizadores. Por isso, para além de permitir criar tabelas para impressão ou uso no computador, pode ser usado para actividades curriculares. É possível voz de síntese e digitalizada, pode ser usado como teclado predição de texto e os teclados criados podem ser utilizados em tablets. As opções de varrimento permitem o acesso através de comutadores por pessoas com dificuldades motoras.
No vídeo que apresentamos abaixo mostramos a criação de duas tabelas ligadas, pensadas para utilização em contexto escolar - uma com actividades na sala de aula e a outra para a higiene.
Pode descarregar o programa e vários teclados exemplo na página de descarga ou ver mais informações na página do Plaphoons.

2

Foto do switch AugustusO varrimento é uma técnica de acesso indirecto usada geralmente por pessoas com dificuldades motoras severas para utilização do computador ou de outras tecnologias, como digitalizadores de fala.

Contrariamente ao acesso directo, em que se pressionam teclas num teclado ou itens num ecrã, por exemplo, os utilizadores de varrimento têm que esperar que o equipamento com que estão a interagir percorra os itens disponíveis e, em seguida, com a activação de um comutador, escolhem a opção desejada. Existem no mercado comutadores com diferentes, tamanhos e formas de activação. No entanto, é possível construir comutadores para responder a necessidades específicas. Hoje, partilhamos o esquema de construção do Switch Augustus, um comutador criado por um colega que utiliza um interruptor de campainha e que, pela sua resistência, pode inclusive ser accionado com o pé.

[Editado: O Switch Augustus, com um nome a fazer lembrar alta costura ou imperadores romanos, deve a designação ao professor Augusto, da EB23 Gaspar Correia. A partir das indicações do CANTIC, este colega construiu vários manípulos deste tipo, visualmente agradáveis e com uma resistência exemplar. Um dos manípulos tem resisitido a centenas, se não milhares, de pés - usamo-lo há vários anos em todas as demonstrações públicas que fazemos, para mostrar o controlo de um brinquedo com os membros inferiores.]

Visualize e descarregue os desenhos do Switch Augustus.

Pode ver um pequeno manual de construção de comutadores e interfaces para comutadores na página do Eng.o Antonio Sacco. Descarregue o manual em http://goo.gl/svIS41